Viajar pelos céus e conhecer o mundo é o sonho de muita gente. Também é o seu? E se dissermos que dá para fazer isso e ainda ganhar dinheiro? Não é nenhuma promessa milagrosa! Basta ser um profissional de aviação. Quer saber, afinal, quanto ganha um piloto de avião?

Essa profissão é muito admirada. Não é à toa que é uma das escolhidas pelas crianças como resposta para a famosa pergunta “o que você quer ser quando crescer?”. Entretanto, admiração não é o suficiente para escolher a carreira e ter sucesso nela.

Obviamente, aptidão e afinidade são os itens mais importantes, mas o valor da remuneração também deve ser considerado. Está pensando em pilotar por aí, mas não sabe se esse é um trabalho valorizado financeiramente? Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

Quanto ganha um piloto de avião? 

Como toda profissão, o salário varia muito de acordo com a região, o país, o ramo de atividade e a experiência do profissional. No caso do piloto de avião, o cargo ocupado também é decisivo na hora de estabelecer um valor para a remuneração.

Aliás, as companhias aéreas também são uma variável, pois algumas pagam mais e outras pagam menos. O piso salarial de um comandante gira em torno de 4 mil reais, e o de copiloto é de 3,5 mil reais, mas é interessante dizer que o salário médio no Brasil está acima desses valores.

Uma curiosidade é que o piloto é o profissional que ganha melhor entre aqueles do ramo da aviação, como o engenheiro aeronáutico e os comissários de bordo. Só aí já dá para perceber que o faturamento é muito bom. A maioria dos pilotos de avião recebe valores extras, que ajudam a engordar o salário.

Quais são esses extras? Adicional noturno, periculosidade, horas de reserva, diárias e adicionais para voos em domingos e feriados, bem como as horas de voo. De maneira geral, podemos dizer que um piloto no Brasil ganha por volta de 16 mil reais. Bom, não é?

Segundo informações do Instituto Brasileiro de Aviação, 66% dos pilotos recebem 11 mil reais, mais ou menos, e 5% ganham menos de mil reais. Geralmente, quem ganha valores mais baixos são os que trabalham em aviões particulares.

pilotos de avião

Quanto ganha um piloto de avião comercial?

Antes de falar quanto ganha um piloto comercial, é preciso saber mais sobre o ramo de atuação. Esse profissional é aquele que pilota os aviões das companhias áreas e de grandes empresas. O salário dele pode variar entre 12 mil e 18 mil reais nas empresas brasileiras. Para o copiloto, a remuneração é de 8 mil reais, podendo chegar a 15 mil.

Como dissemos, o que faz o faturamento de um piloto de avião ser mais alto são os bônus, as gratificações e os benefícios oferecidos pelos empregadores. Como são muitos, o salário-base ganha valores bem consideráveis. Veja alguns deles:

  • planos de saúde e odontológico;
  • auxílio para creche;
  • seguro de vida;
  • vale-transporte;
  • vale-alimentação;
  • vale-refeição;
  • previdência privada.

Quanto ganha um piloto de avião internacional?

Se um piloto de avião no Brasil já ganha bem, imagine um de carreira internacional? Pilotar pelo mundo é um dos maiores desejos dos profissionais, sendo um cargo muito cobiçado entre eles. A remuneração está entre as maiores de todo o setor aeronáutico, girando em torno de 25 mil a 28 mil reais mensais.

Algumas companhias aéreas de outros países podem oferecer salários de até 100 mil reais. Já pensou? Esse valor é bem alto porque falta tripulação qualificada para o cargo, então a maneira de atrair bons profissionais é por meio de pagamentos mais volumosos.

Quanto ganha um piloto de avião nos Estados Unidos? 

Muitos profissionais das mais diversas áreas têm vontade de atuar nos Estados Unidos. Nesse país, a remuneração costuma ser alta, independentemente do tipo de serviço. Na aviação isso também acontece, e os ganhos de um piloto de avião nos EUA podem variar de 200 mil a 300 mil dólares por ano!

O mercado lá tem bastante demanda, pois os profissionais locais não são suficientes para ocupar todas as vagas. Além de ter um ótimo faturamento, essa é uma oportunidade incrível de crescimento na carreira, pois o acesso às tecnologias mais avançadas é facilitado.

Eligis - teste vocacional e profissional

Como é a carreira do piloto de avião?

Primeiramente, é preciso se formar em um curso de piloto. É essencial que a escola seja reconhecida pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil). Além disso, a carreira exige vários cursos para que o profissional esteja pronto para a atuação no mercado.

O requisito mínimo para ingressar no curso é ter 18 anos ou mais e ter se formado no Ensino Médio. Assim como na habilitação de carro, há disciplinas teóricas e práticas. As do segundo tipo só podem ser iniciadas depois que o estudante passar nas avaliações teóricas.

A carreira de piloto de avião é cheia de oportunidades de atuação, não apenas as que falamos neste post. Dá para ser piloto particular, de táxi aéreo, de aviões agrícolas, de aviões de paraquedistas e de aviões executivos. Inclusive, é possível ser instrutor de voo — isso tudo na parte civil.

Há ainda muitas possibilidades de atuação na área militar: pilotar caças, aviões presidenciais e outras aeronaves civis, aviões de tropas e de bombardeios. Para quem quer ser piloto de linhas aéreas de grandes empresas, as exigências são:

  • ter 21 anos ou mais;
  • ter licença de piloto;
  • ter cumprido o mínimo de 1.500 horas de voo;
  • no caso de carreira internacional, ainda é preciso incluir um segundo idioma, preferencialmente o inglês.

Saber quanto ganha um piloto de avião abriu os seus olhos para mais essa oportunidade de carreira? Saiba também que a profissão oferece muitas possibilidades de atuação no mundo inteiro, com ganhos bem expressivos. Vale lembrar que é preciso ter muita dedicação e disciplina para se capacitar e se encaixar nas exigências do mercado de trabalho. Todo esforço vale a pena para ganhar os céus por aí.

Já sabe qual profissão você vai chamar de sua? Ainda está em dúvida sobre qual é a sua vocação? Então aproveite que está por aqui e saiba o que é o teste vocacional e como ele pode ajudar você nessa escolha!

Você pode gostar também