Você adora tudo o que envolve cultura, arte, comunicação, manifestações de ideias e sentimentos humanos, ao ponto de ouvir com frequência as pessoas falarem que você tem domínio do assunto, praticamente uma veia artística? Pois saiba que há uma graduação que pode ser a combinação perfeita para seu perfil e seus interesses: a de Artes Visuais.

Se não está familiarizando com essa formação e não sabe ao certo para que carreira lhe capacita, não fique preocupado. Neste post, você ficará por dentro de como funciona o curso e quais são as perspectivas profissionais para quem se forma nele — ou seja, bastante assunto. Portanto, acompanhe!

Artes Visuais: o que são?

Para entender o que são Artes Visuais, é preciso primeiramente conhecer o ramo das Artes, do qual ela faz parte. Essa área, que é vital em qualquer sociedade, vai muito além de entretenimento e diversão.

Trata-se de uma atuação profissional multifacetada que contempla atividades de dança, música, cinema, teatro, pintura, artesanato, desenho, fotografia, ilustração, serigrafia, xilogravura, escultura e muito mais.

Todas elas são de extrema importância não só para a vivência, a representação e a preservação cultural de um local, mas também para algumas questões como:

  • debate sobre direitos humanos;
  • evolução das práticas de comunicação e linguagem;
  • a pesquisa e o estudo da história;
  • manutenção da liberdade de expressão e dos princípios democráticos;
  • propagação de correntes filosóficas;
  • o incentivo à educação, e;
  • vivência em comunidade.

É por ser tão ampla e permitir diferentes formas de alcançar o público e transmitir mensagens que o campo das Artes é dividido em diferentes categorias. Abaixo, nós apresentamos três das mais conhecidas e mais procuradas no vestibular. Confira!

Tipos de Artes Visuais

Artes Cênicas

Quem segue as Artes Cênicas torna-se um artista cênico após se formar, dedicando-se ao estudo e a prática da dramatização de personalidades reais ou fictícias para plateias ou em ambientes cenográficos para equipes técnicas.

É uma carreira que envolve um longo processo de desenvolvimento da expressividade física e corporal e do conhecimento do espectro psicoemocional humano para contar histórias e cativar o imaginário de quem assiste a espetáculos ao vivo e produções audiovisuais.

Artes Plásticas

Já as Artes Plásticas exploram a criação de obras relacionadas a movimentos artísticos culturais e contraculturais que ditaram tendências e até hoje influenciam a moda, a arquitetura, a publicidade e outros meios mercadológicos que trabalham com o apelo estético da imagem.

Alguns bons exemplos de movimentos são o Cubismo, o Surrealismo, o Abstracionismo e o Minimalismo.

É por esse motivo que o artista plástico se aprofunda em técnicas motoras que não só aperfeiçoam o desenho, a ilustração e a pintura, mas que garantam a ele a capacidade de referenciar esses estilos artísticos em cada peça produzida e, para completar, captar a subjetividade das emoções e experiências humanas.

Artes Visuais: como é o curso?

A graduação em Artes Visuais é encontrada de duas formas: licenciatura e bacharelado. Em ambas as opções, ela dura 4 anos e conta com parte das disciplinas compondo um ciclo básico de formação na área, independentemente de qual delas seja a sua escolha.

No entanto, há, sim, diferenças importantes entre os dois formatos.

Quem decide cursar licenciatura, por exemplo, precisa estar ciente de que receberá uma formação preparatória para atuar em instituições escolares com:

  • a docência — para alunos matriculados desde o ensino básico até o ensino médio;
  • a coordenação educacional;
  • o planejamento pedagógico de atividades curriculares e extracurriculares que visam à produção e manifestação artísticas de crianças e jovens.

Já quem faz o bacharelado tem um caminho distinto pela frente. Isso se deve ao fato de que esse tipo de formação visa à atuação profissional em setores tradicionais do mercado, o que exclui a prática e a vivência do magistério.

É por isso que você não só se aprofunda sobre a História da Arte no Brasil e no mundo, como também estuda a manipulação de ferramentas e materiais para a produção de obras, a aplicação da arte em contextos multimídia e publicitários e os trâmites de produções culturais em solo nacional.

Habilitações em Artes Visuais

Ao concluir que o bacharelado em Artes Visuais é a escolha certa para seu futuro, você se verá diante de uma escolha importante: a habilitação que vai definir sua qualificação profissional.

Basta recordar que ela será responsável pelo foco das disciplinas no ciclo específico de formação que complementa o resto da grade curricular.

Cada centro universitário tem autonomia para ofertar quantos segmentos considerar mais relevantes, podendo, inclusive, permitir que o aluno consiga obter uma dupla habilitação caso estenda o período do curso por mais dois anos e complete a proposta pedagógica do segundo campo no qual tem interesse.

É por esse motivo que é importante conhecer a estrutura dessa graduação nas universidades da sua região, pois elas podem ter variações significativas de uma para outra. Abaixo, nós reunimos alguns exemplos de habilitação para você entender melhor como funciona essa ramificação. Veja:

  • habilitação em Fotografia: voltada para a captura de manifestações culturais e expressividades físicas e emocionais em cenários pré-concebidos ou naturais, além de montagens e colagens artísticas com os registros físicos;
  • habilitação em Escultura: focada em produção, modelagem e interpretação visual de obras esculpidas em diferentes materiais (como cerâmica, barro, metal, argila etc.);
  • habilitação em Pintura: voltada para o aprendizado de técnicas de aplicação de tinta sobre telas, processos de sobreposição de gravuras e desenhos, preceitos históricos dos movimentos artísticos etc.;
  • habilitação em Som, Imagem e Vídeo: centrada no uso de recursos audiovisuais para a comunicação visual, a difusão da arte contemporânea e a produção de elementos estéticos que referenciem às Artes Cênicas e às Artes Plásticas;
  • habilitação em Desenho Artístico: focada nas técnicas de desenho que envolvem forma, perspectiva, tridimensionalidade e demais aspectos estéticos de objetos e figuras (seja de animais, seja de humanos).

Artes Visuais: grade curricular

Lembra quando mencionamos que o curso de Artes Visuais conta com parte da grade curricular composta por matérias de um ciclo básico de formação na área? Pois bem, isso acontece porque há muitas ramificações dessa graduação, principalmente quando falamos do bacharelado, que tem diversas habilitações.

Portanto, ele serve como um ponto de partida na faculdade, garantindo que os alunos tenham acesso ao mesmo conhecimento generalista do ramo, compreendendo, assim, os aspectos indispensáveis sobre a linguagem artística, a manifestação cultural e os aspectos semióticos, antropológicos e históricos da arte no contexto social brasileiro.

Uma vez concluídos os quatro primeiros semestres, os acadêmicos passam a se aprofundar no objetivo de seus estudos: a docência no contexto escolar ou a produção conceitual e artesanal de obras artísticas a partir de técnicas variadas.

Agora que você já sabe a respeito disso, trouxemos algumas das disciplinas que fazem parte desse ciclo. Veja abaixo!

História da Arte

Começamos pela História da Arte, uma matéria que costuma estar presente não só em um, mas em vários semestres do curso de Artes Visuais dada a profundidade de conteúdo que abrange. Ao estudá-la, você vai se debruçar sobre diferentes contextos históricos e as manifestações artísticas que marcaram cada época.

Contextos da Arte Brasileira

Seguindo a mesma linha de História da Arte, a disciplina de Contextos da Arte Brasileira explora a arte e as relações artísticas em território nacional, dando destaque às influências derivadas da miscigenação social, aos marcos históricos entre as décadas de 1920 e 1980 e os grandes nomes de influenciadores do segmento responsáveis por impulsionar movimentos culturais como o fauvismo, o modernismo, a Tropicália, a bossa nova e outros.

Elementos da Linguagem Visual

Com Elementos da Linguagem Visual, os estudantes aprendem sobre as representações artísticas que mesclam figuras abstratas com palavras e textos, trabalhando as construções estéticas da obra, a composição dos espaços, as referências imagéticas e, inclusive, a interpretação cultural do trabalho a partir da maneira como ele é apresentado às pessoas.

Estética e Filosofia da Arte

Em Estética e Filosofia da Arte, o futuro artista estuda a subjetividade da obra visual e como ela pode despertar e desencadear nos espectadores, por meio da estética apresentada, processos reflexivos sobre a realidade, as construções sociais sobre o tempo, o papel do homem no mundo, a capacidade intelectual de fazer escolhas, os ideais morais e éticos que permeiam as civilizações, a cultura como instrumento de socialização e política etc.

Eligis - teste vocacional e profissional

Pesquisa em Artes Visuais

A Pesquisa em Artes Visuais, por sua vez, trata dos processos metodológicos e da investigação crítica e reflexiva da arte na história, na cultura e ao decorrer da evolução social. Ela é indispensável para que os estudantes tenham a oportunidade de realizar os primeiros trabalhos acadêmicos, como artigos e projetos, que os levem a conhecer mais sobre a iniciação científica e as atividades de extensão da instituição de ensino.

Antropologia e Imagem

A matéria de Antropologia e Imagem estuda a formulação da imagem, assim como os meios de captura dela (como a fotografia e o cinema). O objetivo disso é entender a evolução das técnicas empregadas nesses processos e como os registros imagéticos se tornaram parte indissociável da forma atual de catalogar, estudar e repassar fatos históricos.

Semiótica e Imagem

Semiótica e Imagem é uma matéria focada na construção estética e simbológica das imagens, levando os alunos a estudar a comunicação visual e a utilização de signos culturais nas mais distintas obras. Assim, o artista se torna capaz de transmitir conteúdos densos, como críticas sociais, propagandas ideológicas, movimentos culturais e fenômenos linguísticos, por meio do trabalho que realiza.

Crítica da Arte

A Crítica da Arte contribui para a formação reflexiva e teórica sobre o papel da arte e da utilização dela no mundo contemporâneo. Para tanto, ela traz um forte referencial sobre a História da Arte e ainda apresenta ao acadêmico o aparato utilizado para avaliar e mensurar o trabalho de artistas ao nível acadêmico, científico, audiovisual e patrimonial.

Teoria das Cores

A disciplina de Teoria das Cores aborda os conceitos sobre os significados de cada nuance existente e como as diferentes tonalidades são percebidas visual, emocional e psicologicamente pelas pessoas. Afinal de contas, as cores são parte essencial da expressão artística. Logo, elas devem ser usadas não apenas criativamente, mas de maneira estruturada para que a mensagem ou o conceito do seu trabalho seja passado de forma direta e clara ao público.

Estágio em Artes Visuais

Como muitos cursos contam com estágios supervisionados — sendo eles, inclusive, parte indispensável para a obtenção do diploma —, é natural que você se questione se o mesmo ocorre na graduação em Artes Visuais.

Portanto, saiba que a resposta é: depende. Isso porque, quando tratamos especificamente da licenciatura, você pode ter a certeza desde já que haverá dois ou três estágios a serem realizados.

Afinal, as diretrizes curriculares das formações de docentes, independentemente da área escolhida, preveem a obrigatoriedade de o acadêmico estagiar em ambientes escolares.

Dessa maneira, ele terá como desenvolver a didática ao lecionar, compreender o funcionamento dos ensinos público e privado no país, habituar-se com medidas inclusivas para alunos em situações de atenção especial e acompanhar de perto como se dá a formulação pedagógica e educativa dos planos de aulas.

Por outro lado, quando falamos do bacharelado, o estágio se torna facultativo. Em algumas faculdades, ele será cobrado, mas em outras não. Isso pode variar, por exemplo, como a modalidade de ensino (EAD ou presencial), a habilitação escolhida, a organização curricular do curso, entre outros fatores.

artes visuais

Onde estudar Artes Visuais?

Como já foi dito ao longo do post, há muitas instituições públicas de ensino que oferecem o curso de Artes Visuais, podendo ele ser bacharelado (com ou sem habilitação) ou licenciatura. Abaixo, nós trouxemos uma seleção com algumas delas para você conferir onde pode se graduar. Veja:

  • Universidade Federal de Uberlândia;
  • Universidade Federal do Amapá;
  • Universidade Federal do Amazonas;
  • Universidade Federal do Maranhão;
  • Universidade Federal de Pernambuco;
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul;
  • Universidade Federal do Espírito Santo;
  • Universidade de São Paulo;
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul;
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Artes Visuais: USP

Uma das faculdades que mencionamos há pouco, mas que, sem dúvidas, merece um destaque à parte é a Universidade de São Paulo (USP). Isso porque ela é a instituição do Brasil mais bem avaliada no ranking 2020 das melhores universidades do mundo, elaborado pela companhia Quacquarelli Symonds (QS), referência internacional em relatórios e produções voltadas para o ensino superior.

Para se ter ideia, ela ocupa a 116ª colocação, sendo a única brasileira no top 200. Portanto, ter a oportunidade de estudar nela é, sem dúvidas, excelente não só para o currículo, mas para ter a certeza de receber uma formação de qualidade. Para completar, a USP tem um bom leque de opções quando se trata da graduação em Artes Visuais. Tanto é que ela oferece as opções de licenciatura e bacharelado, sendo este último com nada mais, nada menos que quatro habilitações:

  • Escultura;
  • Gravura;
  • Pintura;
  • Multimídia e Intermídia.

Artes Visuais: nota de corte

O banco de informações do Ministério da Educação identificou que em 2012 — ano da primeira edição do Enem tabulada e divulgada pela plataforma — a nota de corte média de Artes Visuais no Brasil foi de 645.89. Já sete anos depois, em 2019, a pontuação média foi de 668.13. Ou seja, a variação foi de apenas 22.24 pontos nesse período, o que mostra dois pontos interessantes.

O primeiro é de que a procura pelo curso se mantém estável ao longo de quase 10 versões do exame. O segundo é que os aprovados nessa graduação apresentam, ano após ano, um desempenho similar. Portanto, agora que você está ciente dessa informação, foque nos seus estudos para garantir um resultado final acima da última nota de corte divulgada. Dessa forma, a concorrência não será um problema!

Mercado de trabalho

O mercado de Artes Visuais é bem amplo para o recém-formado que quer dar o primeiro passo na carreira e ganhar experiência. Isso porque ele pode atuar em museus, galerias, centros de conservação do patrimônio público, fundações culturais, ateliês de desenho, estúdios de design, escritórios de produção audiovisual etc.

Além disso, pode prestar consultoria artística em programas de televisão e rádio, estúdios de cinema e editoras de livros, periódicos, material didático e afins. Já para quem escolhe a docência, por sua vez, há não só as escolas, como as universidades e as instituições de difusão cultural e artística presentes nas grandes capitais do país.

Em suma, há oportunidades nos mais diferentes cenários que podem ajudá-lo a ter uma trajetória de sucesso, a desenvolver um portfólio de projetos e a angariar seguidores.

Artes Visuais: salário

De acordo com o mapeamento de Perspectivas Profissionais, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o profissional de arte, o que inclui a categoria de Artes Visuais, tem um retorno financeiro mensal de R$ 3.055,59.

Porém, esse não é o dado mais interessante, viu? Afinal, o documento dá ênfase ao alto percentual de empregabilidade na área, aproximadamente 92,52% dos recém-graduados estão inseridos no mercado, seja como CLT, seja como freelancer.

Ou seja, uma informação que serve para desmitificar velhos preconceito e ideias equivocadas de que a carreira de artista é instável e não conta com oferta suficiente de trabalho. Um terceiro ponto que merece ser citado aqui é a jornada de trabalho dele que fica em torno de 36,82 horas.

O motivo é bem simples: segundo o Ipea, ela está entre as cinco menores registradas no país, perdendo apenas para as de Ciências Físicas (1º), Psicologia (2º), Reabilitação em Saúde (3º) — que envolve Fisioterapia e Terapia Ocupacional — e Docência (4º).

Gostou de conhecer mais sobre o universo das Artes Visuais? Pois agora que você já sabe como é a formação acadêmica e o mercado nessa área, procure bater um papo com estudantes do curso e artistas profissionais. Além de ser uma ótima oportunidade para fazer contatos, essas interações vão permitir que você se prepare melhor para o seu período na faculdade, conheça mais a fundo as particularidades do ramo e tire dúvidas sobre a oferta de trabalho na sua cidade/região.

E já que falamos sobre a escolha da carreira que você vai seguir, não deixe de conferir nosso guia sobre teste vocacional e saiba como esta ferramenta pode te ajudar!

Você pode gostar também