Cursar medicina é o grande sonho de muitos alunos. As atividades realizadas pelo médico, a valorização social desse profissional, a remuneração e a fácil inserção no mercado de trabalho são os principais atrativos da profissão. A Oftalmologia, por exemplo, é uma especialidade da Medicina que atrai muitos estudantes que desejam realizar cirurgias, prescrever tratamentos e tratar dos mais variados transtornos que se relacionam ao sentido da visão.

Quer entender mais sobre a faculdade, o mercado de trabalho, as áreas de atuação, além de descobrir qual é o perfil esperado desse profissional? Então continue acompanhando o texto, pois são informações que vão ajudar você a decidir se essa é uma carreira compatível com seu perfil e suas expectativas. Aproveite e boa leitura!

O que é Oftalmologia? 

Oftalmologia (ophthalmós: olho + logos: estudo) pode ser entendida como “estudo do olho”. Trata-se, portanto, de uma especialidade da Medicina que faz o estudo e o tratamento de doenças ligadas ao olho, erros de refração, oculística e oftalmiatria.

O estudo da Oftalmologia compreende desvios como miopia, astigmatismo, hipermetropia, retinopatia diabética, pterígio, catarata, tumores oculares, entre outros transtornos.

É importante mencionar que o exercício da profissão é muito antigo e que veio da Antiguidade por meio dos gregos que estudavam a visão. Hoje, a principal função do oftalmologista é estudar, diagnosticar e tratar doenças relacionadas aos olhos, sendo simples ou complexas a partir de exames e de técnicas específicas.

Hoje em dia, muitas pessoas apresentam problemas de visão, seja por um câncer, por não enxergar bem, seja porque apenas precisam de um tratamento. Logo, o profissional ideal para cuidar das pessoas que têm esses problemas é o médico oftalmologista.

Curso de Oftalmologia

Para ser um oftalmologista, é preciso ter diploma de curso superior em Medicina. Lembrando que o curso dura seis anos, e em seguida, o estudante precisará fazer uma especialização (que equivale à pós-graduação) e também residência na área de Oftalmologia em uma instituição de saúde, durando no mínimo dois anos, ou então fazer estágio de três anos em instituição reconhecida.

É indispensável que o curso escolhido seja de extrema qualidade e que seja reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação). Vale destacar que o curso de Medicina engloba disciplinas como:

  • Biologia;
  • Anatomia e Fisiologia dos vários sistemas do corpo humano;
  • Bioquímica;
  • Genética;
  • Biologia Molecular;
  • Medicina Preventiva;
  • Patologia;
  • Farmacologia;
  • Psicologia Médica;
  • Epidemiologia.

É fundamental que o profissional se atualize de forma constante por meio de cursos, palestras, congressos e workshops, para que possa se manter sempre informado sobre novas técnicas e métodos de tratamentos e diagnóstico.

Como outros médicos, os oftalmologistas precisam ser licenciados. Um médico passa a ser certificado ao concluir um exame difícil que realmente comprove suas habilidades. Vale lembrar, ainda, que além do bacharelado, há o curso de Tecnologia Oftálmica, no qual o estudante vai ter apenas noções de manuseio de equipamentos para ajudar o médico durante um exame, como ultrassonografia ocular, ou durante uma consulta, por exemplo.

Quanto às principais atividades do médico oftalmologista, são:

  • realizar consultas; 
  • realizar cirurgias;
  • pesquisar as condições de vida e os hábitos do paciente;
  • fazer perguntas sobre a história familiar;
  • examinar o funcionamento do sistema ocular;
  • fazer um acompanhamento do desenvolvimento de doenças;
  • verificar dores de cabeça;
  • fazer o exame “para óculos”, o qual avalia a saúde ocular e a saúde de todo o organismo. Um exame que permite detectar precocemente doenças que oportunamente tratadas acabam evitando a perda funcional do olho;
  • pedir exames detalhados;
  • receitar lentes de contato ou óculos apropriados para compensar a falta de visão;
  • acompanhar o tratamento, analisando mudanças necessárias no método de tratamento e melhora do quadro clínico;
  • prescrever tratamentos corretos para cada caso e correções para os distúrbios da visão;
  • acompanhar os tratamentos mais específicos com outros profissionais.
Eligis - teste vocacional e profissional

Oftalmologia veterinária

Do mesmo modo que a Medicina humana está anunciando novidades constantemente, o segmento que cuida dos animais também tem se desenvolvido cada vez mais. Porém, algumas áreas, como a Oftalmologia Veterinária, geralmente se destacam mais quando se fala em avanços.

Os avanços da Oftalmologia tanto felina quanto canina são motivos de comemoração. Nos últimos anos, foram incluídas e adaptadas diversas terapias clínicas ou cirúrgicas que antes eram feitas somente em humanos.

É o caso das cirurgias de catarata, por exemplo. Atualmente, elas contam com a técnica conhecida como facoemulsificação, ligada ao implante de lente intraocular, capaz de melhorar o campo de visão do animal acometido pela doença.

A Oftalmologia Veterinária, portanto, é uma área que vem crescendo, permitindo diagnóstico precoce, tratamento correto das afecções oftalmológicas e manutenção da visão dos animais.

Vale destacar que a incidência de problemas oculares em animais é bem alta. Há diversas doenças oculares que precisam de atendimento especializado. As mais frequentes em gatos e cães são as doenças das pálpebras, catarata, úlceras de córnea, uveíte, doenças da retina, glaucoma, entre muitas outras.

O curso tem como objetivo capacitar e atualizar o profissional para o atendimento cirúrgico e clínico de pacientes veterinários com doenças oftálmicas, contribuindo, dessa forma, para a saúde e o bem-estar animal.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para esse profissional é sempre amplo. A precariedade da saúde pública leva a uma necessidade constante de profissionais para servir à população. Além disso, a rede particular precisa de muitos profissionais, sobretudo na área de estudos e pesquisas.

O profissional, para ter destaque no mercado, deve se atualizar sempre, pois a área da saúde apresenta um campo de trabalho extenso, e especializações são sempre um grande diferencial.

Atualmente, os cursos, as clínicas e os hospitais contam com materiais muito mais avançados que permitem diagnósticos bem precisos. Sem contar que há sempre demanda de atendimento, afinal de contas, a visão é um dos principais sentidos humanos e exige muito cuidado e atenção.

Lembrando, ainda, que quem é formado nessa área pode:

  • trabalhar em hospitais públicos e também em hospitais privados;
  • ter consultório próprio;
  • por meio do bacharelado, lecionar em universidades.

Oftalmologia: salário

No cargo de médico oftalmologista, o profissional começa sua carreira ganhando em torno de R$ 9 mil de salário, podendo chegar a ganhar até R$ 17.082,00. Vale mencionar que a média salarial para o oftalmologista no Brasil é de R$ 14.322,00.

Young Caucasian girl getting an eye examination

A carreira do profissional 

O oftalmologista trabalha na área hospitalar ou clínica, seja da rede privada, seja da rede pública, podendo ainda seguir carreira acadêmica. Algumas das principais subespecialidades que esse profissional pode seguir são:

  • Plástica ocular;
  • Oftalmo-pediatria: uma área voltada para o tratamento e para o acompanhamento da saúde ocular infantil;
  • Estrabismo;
  • Doenças das vias lacrimais;
  • Retina;
  • Doenças orbitárias;
  • Glaucoma;
  • Cirurgia refrativa;
  • Catarata;
  • Oftalmoacupuntura.

Além disso, os estudantes de oftalmologia ou ortóptica têm a opção de se tornarem optometristas, para que possam examinar os olhos dos pacientes, fazendo a prescrição de óculos e encaminhamentos para especialistas ou clínicos gerais. A Ortóptica pode fazer investigação, diagnóstico ou tratamento de alinhamentos ligados à visão e aos movimentos anormais dos olhos.

Vale mencionar que, muitas vezes, as pessoas acabam confundindo as áreas de atuação do Oftalmologista e do Oculista. É importante entender que o primeiro é o médico que trata de problemas relacionados à visão, como miopia, catarata e muitos outros que citamos aqui. O oculista, por sua vez, é o profissional que fica responsável pela ótica, não podendo prescrever receitas médicas. Logo, ele apenas interpreta as receitas e serve como um guia para o cliente.

Por fim, é importante ter em mente que um bom oftalmologista precisa de alguns requisitos básicos, como sensibilidade para o trato com os pacientes, apreço pelas áreas biológicas e de Medicina, dinâmica de trabalho, capacidade de observação e de organização, autocontrole, sensibilidade e, claro, disponibilidade constante para o estudo. Então, se você tem esse perfil e gosta da Oftalmologia, estude bastante para conquistar seu sonho, afinal, estamos falando de um curso bem concorrido!

E aí, gostou do texto e quer continuar aprendendo em nosso blog? Então aproveite a visita para conhecer as 5 dicas para ajudar na escolha do seu curso!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também