Para muitos jovens, é a Medicina que garantirá uma carreira não só estável e valorizada socialmente, mas que lhes permitirá fazer algo capaz de impactar positivamente a sociedade. Afinal, essa é, sem dúvidas, uma das maiores belezas dessa profissão: a possibilidade real de ajudar o outro.

Porém, como você já deve saber, não basta só se formar na área. É preciso escolher uma especialidade para direcionar a atuação profissional. Por esse motivo, vamos falar sobre uma bastante especial neste post: a Geriatria.

Curioso para saber mais a respeito dela e entender por que ela é cada vez mais reconhecida no ramo da saúde não só no Brasil, mas em todo o mundo? Então já sabe: acompanhe o artigo até o final!

O que é Geriatria?

Indo no sentido contrário ao da Pediatria — um campo em que o médico lida diariamente com crianças e jovens —, a Geriatria é centrada exclusivamente nas pessoas com mais de 65 anos de idade. Ou seja, aquelas que já são consideradas socialmente idosas. O motivo disso é que os profissionais da área se aperfeiçoam por anos para avaliar, acompanhar, tratar e reabilitar indivíduos que estão enfrentando patologias (infecciosas, crônicas ou agudas) mais frequentes ou até mesmo específicas da terceira idade.

Esse tipo de atividade é muito importante não só porque garante que a população envelheça de maneira mais equilibrada, mas porque permite que, no futuro, ela seja mais bem assistida pelas instituições públicas e privadas de saúde.

Algo que é essencial quando se analisa um artigo publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2014, que estima que haverá cerca de 2 bilhões de indivíduos acima dessa faixa etária em meados de 2050. Fenômeno este que é percebido não só ao nível global, mas também em território nacional.

Tanto é que um levantamento de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quatro anos depois, que foi divulgado pelo próprio portal do órgão, apontou que em no mesmo período um a cada quatro brasileiros estará na melhor idade.

Portanto, é compreensível que esse ramo tenha se expandido tanto dentro da Medicina. Afinal de contas, em poucas décadas ele será continuamente requisitado, funcionando como uma bússola que indica o caminho a ser seguido para a promoção da qualidade de vida de boa parcela da população mundial.

Eligis - teste vocacional e profissional

O que é Gerontologia?

Há pouco, a gente explicou do que se trata o campo da Geriatria. Porém, é muito provável que você já tenha escutado e visto um termo bem parecido e que também é usado na Medicina para se referir ao trabalho que os médicos desenvolvem com os idosos: a Gerontologia. Com isso, é normal se questionar se ambos os nomes significam a mesma coisa ou se representam atividades diferentes, não é verdade?

Portanto, saiba que, Geriatria e Gerontologia dialogam bastante entre si,cada um dos segmentos foca em aspectos distintos da terceira idade. O primeiro, como já foi dito, é voltado para o diagnóstico, o acompanhamento clínico e o tratamento das enfermidades nessa fase da vida. Já a Gerontologia se debruça sobre as fases do envelhecimento e as mudanças orgânicas e psicoemocionais que atingem os indivíduos.

A partir daí, os profissionais pesquisam e propõem medidas para garantir que essa parcela da população se mantenha ativa, funcional e participativa tanto social quanto culturalmente.

Por serem áreas de atuação muito próximas, é bastante comum encontrar médicos que se especializam em um delas para, logo em seguida, estudar a outra. Isso não só agrega valor ao currículo, mas garante uma compreensão mais ampla sobre o que é a velhice, como retardar esse processo sem intervenções cirúrgicas e plásticas e, é claro, quais as maneiras de prolongar a saúde física e mental das pessoas com o passar dos anos.

Curso de Geriatria

A formação em Geriatria pode ser realizada por meio das residências médicas ou pelos cursos regulares de pós-graduação (a chamada especialização). Em ambos os cenários, ela não ultrapassa dois anos e conta com atividades práticas em centros de atendimento gratuito à população. É, basicamente, o que ocorre com todas as especialidades médicas, como Oncologia, Gastroenterologia, Neurologia etc.

Vale ressaltar que, caso você opte pelo curso em vez da residência, terá uma carga considerável de disciplinas que envolve um vasto conteúdo programático teórico:

  • Cuidados Paliativos;
  • Epidemiologia Geriátrica;
  • Análises Clínicas;
  • Transtornos Mentais e Psicossomáticos na Velhice;
  • Práticas Assistencialistas;
  • Envelhecimento Populacional;
  • Políticas Públicas de Saúde para o Idoso.

Faculdades

As faculdades que oferecem a especialização em Geriatria são, em sua grande maioria, particulares. Isso acontece porque os programas de residência se concentram nas universidades públicas. Contudo, há muitas instituições federais nas quais você pode cursá-la, inclusive logo após terminar a graduação:

  • Universidade Federal Fluminense (UFF);
  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ);
  • Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Mercado de trabalho

O profissional especialista em Geriatria pode atuar em múltiplos espaços. Um bom exemplo disso são os hospitais, os centros ambulatoriais, as clínicas de reabilitação, os centros de pesquisa e estudo de parasitologias e os programas governamentais — nos quais o médico pode assistir e orientar os legisladores no desenvolvimento de políticas públicas de saúde.

A carreira do profissional

Além da possibilidade de se especializar de forma conjunta em Geriatria e Gerontologia, você pode atuar com atendimento domiciliar ao idoso. Tenha em mente que esse subsegmento home care tem ganhado cada vez mais espaço, especialmente nos casos de pacientes em processo de reabilitação e em terapias para doenças terminais, pois não só presta um atendimento humanizado a ele, como respeita as limitações que o indivíduo tem e ainda promove a oferta de saúde sem distinção ou desigualdade a todos.

Salário

Após a graduação e a pós-graduação, o médico pode atuar como especialista em Geriatria. Ao conquistar esse título, você terá uma renda média aproximada de R$ 6.404,58 para uma carga semanal de apenas 26 horas, como indica sondagem nacional do site Salário. Um dado interessante é que geriatras com mais de 10 anos de atuação clínica e preventiva ganham por volta de 40% a mais sobre esse valor, chegando a R$ 10.674,00, e mantendo a mesma jornada de trabalho.

Como você notou ao ler nosso post, a Geriatria é uma especialidade médica em ascensão e promete ser uma das carreiras mais produtivas e com potencial financeiro na área da saúde nos próximos anos. Por isso, se você quer se formar nela, dedique-se com afinco na graduação para ter uma base sólida de conhecimento ao chegar à pós-graduação!

E já que mencionamos o ramo da saúde, que tal conhecer outras profissões que estão inseridas nele, como Fisioterapia, Psicologia, Farmácia e Enfermagem?

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também