Fez um teste vocacional e descobriu que tem tudo a ver com Ciências Agrárias? Esse campo do conhecimento, de acordo com o Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), inclui os cursos de Agronomia, Engenharia Agrícola, Engenharia Florestal, Zootecnia e Engenharia de Pesca, além de Medicina Veterinária e Ciência e Tecnologia de Alimentos. Bem dinâmico, concorda?

O que esses cursos têm em comum é a preocupação com a alimentação do ser humano, sem deixar de lado o meio ambiente e até o turismo rural. Neste post, vamos dar enfoque aocurso de Engenharia Agrícola, para que você conheça melhor o campo de estudos, a profissão e o mercado de trabalho. Preparado?

O que é Engenharia Agrícola?

Essa é uma área bastante peculiar: envolve conteúdos técnicos específicos, ambientais, sociais e econômicos. Produzir alimento para seres humanos requer conhecimentos diversos, que vão do tipo de solo à semente, do maquinário aos resíduos de produção, da sazonalidade às condições climáticas. E isso, claro, envolve muito dinheiro.

Basicamente, a Engenharia Agrícola faz a união de técnicas para melhorar a produção agrícola. Tudo o que envolve o meio rural (construção de açudes, estufas, maquinário, colheita, armazenagem e conservação do solo, por exemplo) compõe essa graduação.

Alguns cursos, inclusive, incluem a Engenharia Ambiental, com disciplinas mais voltadas à sustentabilidade e à conservação do meio. Houve uma época em que a produção agrícola não se preocupava com as futuras gerações e exauria o solo. Hoje, com técnicas mais modernas e maior conscientização em relação aos recursos ambientais, há mais preocupação em usar o solo sem desgastá-lo.

O curso de Engenharia Agrícola

As aulas da graduação em Engenharia Agrícola são presenciais, ou seja, não é possível fazer EAD. São várias disciplinas de laboratório e aulas práticas em fazendas-escola. É importante que você avalie a estrutura da universidade e verifique se ela dispõe de recursos de ponta, para que a formação não fique apenas na teoria.

Na Unicamp, por exemplo, a Faculdade de Engenharia Agrícola (FEAGRI) forma profissionais após 5 anos de curso. Os alunos têm de cumprir 3.600 horas incluindo as disciplinas obrigatórias e as optativas. Entre as obrigatórias, destacam-se:

  • Botânica;
  • Sociologia e Extensão Rural;
  • Características e Propriedades do Solo;
  • Meteorologia Agrícola;
  • Barragens e Estradas de Terra;
  • História e Desenvolvimento da Agricultura Brasileira;
  • Tecnologia de Processos Pós-colheita;
  • Hidrologia;
  • Saneamento Ambiental;
  • Técnicas de Irrigação.

Também são oferecidas matérias básicas a todas as engenharias, como Termodinâmica, Cálculo, Mecânica, Geometria e Física. Integram o currículo, ainda, disciplinas de Biologia e Geografia.

Entre as eletivas, que o próprio aluno escolhe de acordo com a formação que deseja, estão:

  • Saneamento Rural;
  • Tecnologia de Sementes;
  • Tecnologia de Produção de Rações;
  • Engenharia de Irrigação;
  • Introdução à Administração de Empresas do Agronegócio;
  • Agroecologia;
  • Internet das Coisas na Agricultura.

É importante ressaltar que, com as inovações tecnológicas, os futuros profissionais não só devem dominar as técnicas existentes, como também aprender a lidar com o que ainda vai surgir, ou seja, o engenheiro agrícola precisa estar em constante atualização. Isso pode ser feito por meio de cursos de especialização, MBAs e outros.

Eligis - teste vocacional e profissional

Engenharia Agrícola: o que faz

No campo da Engenharia Agrícola, o estudante, ainda na graduação, pode começar a delimitar a área em que atuará, pois são várias as frentes de trabalho:

  • Recursos Naturais Renováveis;
  • Estruturas;
  • Tecnologia Pós-colheita;
  • Administração;
  • Desenvolvimento e Sustentabilidade Rural;
  • Máquinas.

Engenharia Agrícola: faculdade 

Mais de 30 instituições, mais públicas que privadas, têm esse curso no país, que, como dissemos, é ofertado apenas na modalidade presencial. A seguir, selecionamos asmelhores faculdades de Engenharia Agrícola e as que acrescentam Engenharia Ambiental à formação.

Engenharia Agrícola

  • Fundação Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), em Alegrete (RS);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano (IF Goiano), em Urutaí (GO);
  • Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em Campinas (SP);
  • Universidade Estadual de Maringá (UEM), em Cidade Gaúcha (PR);
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Jandaia do Sul (PR);
  • Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em Cachoeiro do Sul (RS);
  • Universidade Federal de Lavras (UFLA), em Lavras (MG);
  • Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), em Campina Grande (PB);
  • Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), em Tomé-Açu (PA);
  • Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), em Erechim (RS).

Engenharia Agrícola e Ambiental

  • Faculdade Ieducare (FIED), em Tianguá (CE);
  • Faculdade Terra Nordeste (FATENE), em Caucaia (CE);
  • Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG), em Araçuaí e em Januária (MG);
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), em Unaí (MG);
  • Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói (RJ);
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), em Seropédica (RJ);
  • Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), em Rondonópolis e em Sinop (MT);
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Montes Claros (MG).

Para ingressar em uma universidade pública, é possível usar a nota do Enem e se inscrever noSisu. As notas de corte ficam na casa dos 620 pontos, sendo a maior na UFLA: 707 pontos em 2019.

trator engenharia agrícola

Mercado de trabalho

Amplo como as áreas de atuação, o mercado de trabalho para o engenheiro agrônomo, principalmente em um país continental como o Brasil, só tende a melhorar. Muita gente confunde essa engenharia com a Agronomia, porém, os campos de atuação, embora situados no mesmo campo, são distintos.

O engenheiro agrônomo se dedica mais ao estudo e aplicação de técnicas de plantio, enquanto o agrícola desenvolve tudo o que é necessário no campo, como projetos de irrigação, máquinas e colheita. 

Usinas, propriedades rurais, cooperativas e demais instâncias do setor agroindustrial e pecuário são locais onde o engenheiro agrícola pode trabalhar.

Engenharia Agrícola: salário 

Como o mercado agro é forte no país, os salários acompanham a tendência. Em torno de R$ 8 mil mensais é o que ganha um engenheiro agrícola com alguma experiência. Os novatos recebem, em média, R$ 3 mil.

Gostou de saber mais sobre a Engenharia Agrícola? O perfil desse profissional requer conhecimento de várias áreas e dedicação total ao curso. Ainda em dúvida? Continue pesquisando informações sobre as áreas que são do seu agrado. Também temos dicas para ajudar na escolha do seu curso. Confira!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também