Com a transformação digital, a Engenharia de Telecomunicações começou a ganhar destaque. A tecnologia mudou a forma como as pessoas se comunicam e fez com que o setor investisse no desenvolvimento de novos projetos para telefonia fixa e móvel, além de buscar soluções mais inteligentes de televisão e internet.

Quem atua na área pode se dedicar a criar tecnologias cada vez mais avançadas e a prestar serviços de manutenção para empresas de grande porte do mundo inteiro. Achou essa carreira interessante? Continue a leitura e saiba mais sobre a graduação em Engenharia de Telecomunicações!

O que é Engenharia de Telecomunicações?

Engenharia de Telecomunicações é a área da engenharia que se preocupa com o projeto, a manutenção e a operação de sistemas e equipamentos de telecomunicações. Essesegmento diversificado da engenharia inclui a Eletrônica, Civil, Elétrica e Estrutural, além de contabilidade e muita gerência de projetos. 

O engenheiro de telecom — como é popularmente conhecido — tem sólida formação em eletrônica e elétrica, sendo capaz de desenvolver e implantar redes de telecomunicação, criando métodos para que a sociedade possa receber serviços de dados em alta velocidade.

Além disso, atualmente, as aplicações das telecomunicações são se limitam apenas a sistemas elétricos e magnéticos diretamente relacionados à Engenharia Elétrica. A área abrange diversos setores do conhecimento humano, como Medicina, Computação, Ciências Exatas e da Terra, Ciências Naturais, Comunicação Social e Ciências Humanas.

Curso de Engenharia de Telecomunicações

Se você gosta muito de Ciências Exatas e ainda não sabe qual curso fazer, esse pode ser uma boa opção. Com duração média de 5 anos, agraduação em Engenharia de Telecomunicaçõesé do tipo bacharelado e é proveniente da Engenharia Elétrica.

Em muitas universidades, a área ainda é considerada uma especialização ou habilitação. Isso acontece porque, no passado, as telecomunicações estavam muito ligadas ao meio acadêmico e de pesquisas científicas.

No entanto, algumas instituições de ensino já fazem a divisão de forma total, especialmente devido ao fato de a Engenharia de Telecomunicaçõester se tornado ampla e independente. Essa é a tendência geral da área, pois a tecnologia avança rapidamente e está sempre ligada à telecomunicação, que cresce em todo o mundo.

O curso é muito focado nas Ciências Exatas, principalmente em eletromagnetismo, um segmento da Física. Outras matérias incluem assuntos relacionados a programação, matemática, redes de computadores, ótica, princípios de comunicação, telefonia, televisão, satélite e ondas, entre outros temas que envolvem comunicação digital.

Eligis - teste vocacional e profissional

Grade curricular

A grade curricular da Engenharia de Telecomunicações inclui aulas, estágios e atividades em laboratórios, que são fundamentais para a familiarização com equipamentos eletrônicos e elétricos de comunicação. Entre as principais disciplinas presentes no curso, estão:

  • Circuitos Elétricos;
  • Cálculo Diferencial e Integral;
  • Cálculo Numérico;
  • Estatística e Probabilidade;
  • Álgebra Linear;
  • Eletricidade Aplicada;
  • Eletrônica;
  • Eletromagnetismo;
  • Projeto de Sistemas;
  • Redes de Computadores;
  • Resistência dos Materiais;
  • Sistemas de Comunicação;
  • Sistema de Radiodifusão;
  • Sistema de TV;
  • Modelagem e Análise de Sistemas Dinâmicos;
  • Interfaces e Periféricos.

Engenharia de Telecomunicações: onde estudar?

É possível fazer a graduação em Engenharia de Telecomunicações em instituições de ensino de todo o país, tanto públicas quanto privadas. Entre elas, estão:

  • Universidade Federal Fluminense (UFF);
  • Universidade Federal do Pará (UFPA);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC);
  • UniversidadeEstácio de Sá;
  • Centro Universitário FIEO (UNIFIEO).

Mercado de trabalho

Um popular e importante mercado da Engenharia de Telecomunicações é o de telefonia móvel. Após o fim da privatização desse setor no Brasil, no início da década de 1990, o setor teve um crescimento nunca antes visto.

Com isso, muitos investimentos ocorreram nos departamentos de rádio, telefonia, internet e televisão via satélite e via cabo. Além de as empresas privadas contratarem muitos engenheiros de telecomunicações, agências públicas, como a Anatel, também ofertam concursos para esses cargos.

Um aspecto que contribui muito para o desenvolvimento da telecomunicação é sua constante e incessante evolução. Praticamente todos os dias, são lançados novos softwares, dispositivos e tecnologias no meio. Empresas, pessoas e mercados consomem esses produtos de forma contínua.

A carreira do profissional

O engenheiro de telecom estuda diversos circuitos que promovem desenvolvimento estratégico. O profissional é responsável por criar e supervisionar instalações de equipamentos de telecomunicação, como instalações telefônicas de fibra óptica e cobre, além de complexos sistemas eletrônicos de computação.

Essa carreira também coincide com as atividades relacionadas à Engenharia de Transmissão. Afinal, o engenheiro de telecomunicações também é responsável pelos satélites artificiais, cabeamentos aéreos e subterrâneos e centrais de captação, transmissão, codificação e retransmissão dos sinais que estabelecem ligação em todo o planeta.

Para atuar na área, é necessário fazer um curso de Engenharia de Telecomunicações reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Se optar por uma universidade pública, é importante que você faça o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e busque uma vaga no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Após a formatura, o profissional também precisa obter o registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do estado em que vai atuar. A Lei 4.960-A/66 estabelece o salário dos engenheiros de forma geral. O valor está relacionado ao salário-mínimo vigente e à carga horária de trabalho. O piso salarial da área é:

  • 6 salários mínimos para jornada de 6 horas diárias;
  • 7,25 salários mínimos para jornada de 7 horas diárias;
  • 8,5 salários mínimos para jornada de 8 horas diárias.

Apesar de o valor ser definido pela lei, os rendimentos do engenheiro de telecomunicações pode variar por causa de diversos motivos. Entre eles, estão a região de atuação e a experiência do profissional. Por isso, além de se formar, é importante se manter sempre atualizado.

A Engenharia de Telecomunicações é uma área ampla e desafiadora. Quem escolhe esse curso deve gostar de estudar, além de ter capacidade de se adaptar e solucionar novos desafios tecnológicos. O profissional pode encontrar oportunidades em todas as regiões do Brasil.

Gostou de conhecer a área, mas ainda está na dúvida sobre se essa é a melhor opção para você? Então, conheça as vantagens de fazer um teste vocacional e confira 5 dicas para ajudar na escolha do seu curso!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também