Graduação que infelizmente ainda é pouco ofertada pelas universidades do Brasil, a Engenharia Eletrônica é atualmente um dos cursos de nível superior que mais impactam a produção e o desenvolvimento de novas tecnologias digitais pelo mundo.

Desse modo, é por meio dessa ciência que conseguimos criar dispositivos eletrônicos cada vez mais funcionais e menos dependentes de fontes de energia.

Afinal, você já sabe o que estuda a Engenharia Eletrônica e como é esse curso?

Curso de Engenharia Eletrônica

O curso de Engenharia Eletrônica é disponibilizado atualmente no formato de graduação, podendo ele ser concluído geralmente em 5 anos de estudos (ou 10 semestres letivos).

No Brasil essa engenharia é relativamente nova, sendo o Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA a primeira instituição de nível superior a contar com essa formação (a partir de 1951).

Uma dúvida comum entre os estudantes acerca dessa engenharia é confundi-la com o curso de engenharia elétrica, já que os nomes são bem parecidos.

Entretanto, mesmo apresentando consideráveis semelhanças durante o percurso acadêmico, é interessante destacarmos que a Engenharia Eletrônica se difere da Engenharia Elétrica por ser um curso mais voltado para o estudo e desenvolvimento de equipamentos, dispositivos e processos que envolvem a eletrônica.

Já a Engenharia Elétrica é uma graduação mais ampla, não tem esse enfoque em dispositivos e tampouco em redes eletrônicas. Ela visa de uma forma geral estudar projetos elétricos em maior escala, como a distribuição da parte elétrica de um galpão industrial, por exemplo.

Grade curricular

Considerando o curso disponibilizado pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC/MG, a grade curricular de Engenharia Eletrônica conta com a seguinte distribuição.

1º Período

  • Cálculo aplicado I;
  • Filosofia: razão e modernidade;
  • Fundamentos de eletrônica;
  • Introdução à Engenharia Eletrônica e de telecomunicação;
  • Laboratório de química;
  • Química;
  • Representação e modelagem em projetos.

2º Período

  • Algoritmos para engenharia;
  • Cálculo aplicado II;
  • Física: mecânica;
  • Geometria analítica e álgebra linear;
  • Laboratório de física;
  • Visão geral de telecomunicações.

3º Período

  • Cálculo aplicado III;
  • Circuitos elétricos I;
  • Cultura religiosa: fenômeno religioso;
  • Fenômenos de transportes;
  • Física: eletromagnetismo;
  • Mecânica dos sólidos;
  • Tecnologia e sociedade.

4º Período

  • Circuitos elétricos II;
  • Eletrônica I;
  • Estatística;
  • Filosofia: antropologia e ética;
  • Laboratório de circuitos elétricos;
  • Laboratório de eletrônica I;
  • Métodos numéricos aplicados à engenharia;
  • Sistemas de telecomunicações;
  • Sistemas digitais.

5º Período

  • Analise e controle de sistemas lineares;
  • Campos e ondas;
  • Cultura religiosa: pessoa e sociedade;
  • Eletrônica II;
  • Laboratório de automação;
  • Laboratório de eletrônica II;
  • Laboratório de sistemas embutidos microprocessados;
  • Sistemas embutidos microprocessados.

6º Período

  • Antenas e propagação;
  • Comunicação de dados;
  • Eletrônica de potência I;
  • Eletrônica digital avançada;
  • Laboratório de eletrônica de potência I;
  • Laboratório de eletrônica digital avançada;
  • Máquinas elétricas I.

7º Período

  • Eletrônica de potência II;
  • IOT – Internet das Coisas;
  • Laboratório de eletrônica de potência II;
  • Laboratório de máquinas;
  • Máquinas elétricas II;
  • Teoria das comunicações;
  • Trabalho acadêmico integrador em eletrônica.

8º Período

  • Circuitos de radiocomunicação;
  • Laboratório de circuitos de radiocomunicação;
  • Laboratório de controle;
  • Laboratório de processamento de sinais;
  • Laboratório de sistemas de telecomunicações;
  • Optativa I;
  • Processamento de sinais;
  • Sistemas de micro-ondas e ópticos;
  • Trabalho acadêmico integrador em telecomunicações.

9º Período

  • Comunicações móveis;
  • Controle digital aplicado;
  • Laboratório de redes de multisserviços;
  • Optativa II;
  • Optativa III;
  • Redes de multisserviços;
  • Trabalho de conclusão de curso I.

10º Período

  • Ciências do ambiente;
  • Compatibilidade eletromagnética aplicada;
  • Economia;
  • Estágio obrigatório;
  • Optativa IV;
  • Optativa V;
  • Segurança e saúde no trabalho;
  • Trabalho de conclusão de curso II.
Eligis - teste vocacional e profissional

O que faz um engenheiro eletrônico?

São várias as atividades que um engenheiro eletrônico pode assumir na indústria, dentre elas podemos destacar:

  • desenvolvimento de dispositivos eletrônicos mais eficientes;
  • elaboração de componentes eletrônicos compatíveis com as respectivas atualizações tecnológicas (principalmente mais leves, menos poluentes e de maior capacidade de armazenamento);
  • automatização dos processos de fabricação de peças e componentes eletrônicos;
  • gestão dos processos que envolvem a manutenção de dispositivos eletrônicos;
  • utilização da tecnologia eletrônica para aperfeiçoamento dos meios de telecomunicação;
  • desenvolvimento de dispositivos que utilizam de processamento digital de sinais.

Perfil do profissional

Além de apresentar boas habilidades com grande parte das disciplinas da área de exatas (com destaque para matemática e física), o profissional desse ramo precisa gostar muito de tecnologia, computadores e softwares em geral.

Desse modo, uma característica indispensável no perfil desse profissional é a sua facilidade em lidar com a inovação, visto que a cada surgimento de novas tecnologias há também constantes atualizações na área da eletrônica.

Faculdade de Engenharia Eletrônica?

São exemplos de faculdades que ofertam o curso de Engenharia Eletrônica:

  • Instituto Tecnológico de Aeronáutica;
  • Universidade Federal de Pelotas;
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco;
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná;
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina;
  • Universidade Federal de Sergipe;
  • Universidade Federal de Itajubá Unifei;
  • Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca;
  • Universidade Federal de Santa Catarina;
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Áreas de atuação

homem escrevendo no quadro engenharia eletrônica

Em relação às áreas de atuação de um engenheiro eletrônico podemos citar:

  • telecomunicações — atuando na gestão e manuseio dos diversos dispositivos e equipamentos de telecomunicação;
  • projetos eletrônicos — desenvolvimento de novas peças e dispositivos eletrônicos;
  • manutenção — elaborando planos de manutenção compatíveis com as tecnologias de cada dispositivo/equipamento eletrônico;
  • automação industrial — criação de processos e sistemas digitais para integrarem as linhas de produção das empresas.

Mercado de trabalho

Um engenheiro eletrônico no Brasil atualmente encontra boas oportunidades de trabalho em empresas do ramo de telecomunicações (rádios, canais de televisão e produtoras de conteúdos), multinacionais desenvolvedoras de dispositivos eletrônicos, indústria energética (transmissão de energia elétrica) e segmento automobilístico.

Portanto, com a leitura deste post notamos que a Engenharia Eletrônica é um curso de graduação que apresenta diferenças em relação à Engenharia Elétrica e possibilita ao estudante boas chances de ingresso no mercado de trabalho. Outro ponto que merece ser enfatizado é que essa área exige bons conhecimentos em física e tecnologia digital, com destaque para programação de computadores e softwares.

Entender melhor sobre a graduação em Engenharia Eletrônica foi interessante para você? Então leia agora como é o curso de Engenharia Metalúrgica e as suas possibilidades no mercado de trabalho!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também