Infelizmente, no Brasil, nem todos os estudantes que não conseguem uma vaga em um curso superior público apresentam condições financeiras de ingressar na faculdade particular. Por esse motivo, muitos deles recorrem aos programas de financiamento, adquirindo assim um crédito estudantil para viabilizar a sequência da graduação.

Contudo, mesmo se tratando de uma prática bem comum entre os alunos das instituições particulares, poucos estudantes sabem de fato como esse tipo de financiamento funciona, bem como quais são suas vantagens e desvantagens.

Em vista disso, com o intuito de esclarecer o que é crédito estudantil e onde consegui-lo, preparamos um conteúdo bem didático e de simples leitura. Acompanhe!

O que é crédito estudantil?

Crédito estudantil é um programa que algumas instituições (bancárias, financeiras e até públicas) disponibilizam para os estudantes que ingressaram em universidade particular, mas que, a princípio, não têm condições de pagar as mensalidades.

Em outras palavras, é um programa que facilita o acesso de estudantes de baixa renda ao ensino superior particular, por meio da aquisição de crediário financeiro.

Como fazer?

O primeiro passo para pensar em receber esse crédito é, naturalmente, ser aprovado em alguma faculdade particular que é reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Feito isso, o estudante precisa procurar por alguma instituição financeira (como o Bradesco, Santander e Itaú) ou recorrer ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que é um programa oferecido pelo Governo Federal, para dar início ao processo de solicitação de crédito.

Como funciona?

Cada banco apresenta suas regras específicas de financiamento, isto é, o estudante consegue acessar os mais variados programas de créditos, com diferentes taxas de juros, tempo de carência e prazo de quitação da dívida.

De modo geral, um programa de crédito estudantil tradicional funciona da seguinte forma:

  • aprovação no vestibular;
  • simulação de crédito;
  • apresentação de um fiador;
  • verificação dos documentos;
  • fechamento do contrato.

Aprovação no vestibular

O início de tudo é após o estudante ingressar em alguma faculdade particular, seja por meio da realização do exame Nacional do Ensino Médio (Enem), seja por meio do vestibular tradicional aplicado pela própria universidade.

A prova do Enem

É válido lembrar que fazer a prova do Enem é extremamente importante para quem deseja acessar algum tipo de crédito estudantil. Isso porque várias instituições utilizam a nota do Enem como um dos critérios de avaliação para o acesso ao programa.

Simulação de crédito

A simulação de crédito consiste em um processo técnico no qual o banco avaliará se o perfil do estudante que solicita o crédito atende aos pré-requisitos financeiros estabelecidos pela própria instituição.

Essa simulação pode apresentar diferenças consideráveis conforme a instituição financeira, entretanto, ela visa basicamente pesquisar/ponderar:

  • a vida financeira do estudante, analisando contas bancárias, cartões de crédito e a saúde financeira em geral;
  • o perfil financeiro e econômico da família do estudante;
  • o tipo de curso, já que existem áreas que são mais contempladas com os programas de crédito.
Eligis - teste vocacional e profissional

Apresentação do fiador

O fiador é a pessoa que se responsabilizará financeiramente pelo estudante caso ele não consiga pagar alguma das parcelas do crédito estudantil adquirido. Ou seja, ao solicitar esse programa de crédito, o aluno precisa da ajuda de uma pessoa (pai, mãe, tio ou até mesmo um amigo) que já tenha uma vida financeira mais desenvolvida.

Verificação dos documentos

Nessa etapa, o banco vai atestar a veracidade das informações fornecidas pelo estudante por meio da análise dos documentos solicitados, que envolvem desde a aprovação na faculdade, a renda familiar per capita do candidato e a comprovação de renda do fiador.

Fechamento do contrato

Por fim, uma vez que o estudante se encaixe no perfil crediário do banco e consiga comprovar, por meio de documentos, todas as informações, a dinâmica do crédito é acordada entre as partes e o contrato pode ser assinado.

Dinâmica de crédito

De forma geral, o crédito estudantil funciona por semestre, com a dinâmica de que:

  • o banco quita o semestre do estudante na faculdade;
  • o aluno então paga ao banco por mês uma dada quantia, que é inferior à mensalidade regular do curso na universidade (em média cerca de 35% da mensalidade naquele período);
  • ao fim do semestre, o banco avalia a adimplência dos pagamentos e concede um novo crédito para o próximo período.

Seguindo essa lógica, ao se formar o estudante já terá pagado ao banco parte do financiamento e precisará, nos anos seguintes, quitar o restante da dívida acrescido de juros.

crédito estudantil

Crédito estudantil Bradesco

O Banco do Bradesco oferece crédito estudantil com as seguintes características:

  • financiamento de até 100% do valor do semestre;
  • pagamento em 12 meses;
  • débito das parcelas em conta corrente;
  • obrigatoriedade de um fiador;
  • não financiamento de disciplinas em que o estudante tenha sido reprovado.

Crédito estudantil Santander

Já o programa de crédito estudantil do Santander prioriza os estudantes da área da saúde, estabelecendo as seguintes regras:

  • cursos elegíveis — Medicina, Farmácia, Enfermagem, Odontologia, Zootecnia, Veterinária, Biomedicina, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Nutrição;
  • iniciado apenas a partir da quarta mensalidade do curso;
  • obrigatória a inclusão de um avalista;
  • renovação do crédito a cada semestre mediante reavaliação.

Crédito estudantil Itaú 

O Banco Itaú também oferece aos alunos crédito estudantil, apresentando características como:

  • toda a transação pode ser realizada via internet, desde a solicitação até o fechamento do contrato;
  • não é obrigatório o estudante ter uma conta bancária;
  • disponível para quem fez ou não o Enem;
  • possibilidades de o financiamento ser a juros reduzidos conforme perfil do estudante.

Vantagens e desvantagens 

Veja agora quais são as principais vantagens e desvantagens ao solicitar um crédito estudantil.

Vantagens

A grande vantagem é sem dúvidas a de ter o acesso ao ensino superior particular sem ter o dinheiro todo da mensalidade naquele momento da vida.

Outro ponto vantajoso é pelo fato de esse tipo de programa permitir que o foco do estudante durante a graduação seja em seu curso, sem precisar trabalhar para pagar a faculdade. Dessa forma, ele sabe que assumiu o compromisso de pagar após ter se formado.

Desvantagens

Já a desvantagem principal é a dívida assumida pelo estudante assim que ele se forma na universidade. Outra questão que também precisa ser avaliada são as taxas de juros, visto que há programas que se tornam demasiadamente desvantajosos devido aos juros abusivos.

Portanto, podemos concluir agora que, mesmo não sendo aprovado em uma faculdade pública e não tendo, a princípio, condições para bancar uma faculdade privada, o aluno muitas vezes consegue realizar o sonho de entrar na graduação por meio do crédito estudantil.

Vale lembrar que cada banco tem suas próprias regras, ou seja, é prudente verificar cada programa com calma para fechar contrato com o mais vantajoso.

Vai fazer vestibular neste ano, mas ainda não sabe pra quais universidades? Então leia agora mesmo sobre as melhores faculdades do Brasil!

Você pode gostar também