Sabemos que a Medicina é um curso muito concorrido entre os estudantes que estão escolhendo um curso para definir suas carreiras. Uma das grandes responsabilidades do futuro médico é definir uma especialidade para seguir.

Por isso, decidimos reunir as principais informações sobre Cardiologia para quem pensa em cuidar do coração de outras pessoas. Acompanhe o texto para ficar por dentro das características e oportunidades dessa área!

O que é Cardiologia?

A Cardiologia é o segmento da Medicina que se dedica ao estudo das doenças do coração e do sistema circulatório como um todo. Logo, o médico cardiologista é o responsável por analisar, diagnosticar e tratar os pacientes que apresentam alguma alteração nesse sentido.

Aliás, vale dizer que os problemas cardíacos são muito recorrentes na população — o que não é uma boa notícia, mas possivelmente indica uma perspectiva positiva no mercado de trabalho para o profissional formado na área.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo, superando outras patologias graves, como o câncer. Entre essas enfermidades, estão:

  • hipertensão;
  • enfarte agudo do miocárdio;
  • acidente vascular cerebral;
  • arritmia cardíaca;
  • miocardite;
  • angina.

Especialização em Cardiologia

Depois de concluir a faculdade de Medicina, o estudante deve procurar um curso de especialização em Cardiologia, que dura cerca de dois anos. Embora a formação anterior ofereça noções cardiológicas gerais, somente o estudo de assuntos específicos é capaz de conferir o grau de especialista para o profissional.

A dedicação deve ser integral durante esse período, incluindo aulas teóricas e práticas (em hospitais, ambulatórios, unidades de terapia intensiva, laboratórios e outros ambientes de saúde). Cada programa pode ter um foco diferente, mas entre as disciplinas mais comuns estudadas nesse tipo de especialização estão:

  • Anatomia do Sistema Circulatório;
  • Angiologia;
  • Aritmologia;
  • Cirurgia Cardiovascular;
  • Ecocardiografia;
  • Doenças Cardíacas.

Para conseguir uma vaga de residente, o aluno precisa passar pelo processo seletivo da instituição escolhida, que normalmente consiste de prova escrita e avaliação de currículo.

Depois de completar todos os requisitos, finalmente o médico consegue a certificação para atuar como um cardiologista. Porém, a atualização constante continua sendo uma necessidade para que o seu trabalho seja aprimorado cada vez mais, até porque sempre surgem novidades a todo momento em todas as vertentes médicas.

Portanto, fazer cursos complementares, participar de congressos e acompanhar as pesquisas são atitudes fundamentais para lidar com a responsabilidade de cuidar da saúde dos outros.

Eligis - teste vocacional e profissional

O que faz um cardiologista?

Uma das informações que costuma ser determinante para atrair (ou não) as pessoas para uma carreira é a rotina do profissional. Nesse caso, o médico especialista pode se dividir entre a prática clínica e a cirúrgica — no último caso, precisa cumprir o requisito da especialização como cirurgião também.

O dia a dia de atendimento clínico geralmente envolve atividades como:

  • diagnóstico de doenças;
  • realização de exames;
  • interpretação de resultados;
  • prescrição de tratamentos e medicamentos para controlar a situação diagnosticada.

Como nem todo paciente vai apresentar um quadro de doença, outra missão importante para o cardiologista é atuar na prevenção dos problemas cardiovasculares. Ou seja, muitas pessoas vão chegar ao consultório sem uma patologia específica, mas devem ser aconselhadas pelo profissional à adoção de hábitos saudáveis para evitar complicações futuras. Isso é o que chamamos de Cardiologia preventiva.

Áreas de atuação e subespecialidades

Assim como outros campos do conhecimento, a Cardiologia evoluiu bastante nos últimos tempos e ganhou até subespecialidades. Isso significa que os profissionais ainda podem escolher entre áreas de atuação que despertem mais seu interesse e sua verdadeira vocação. Veja a seguir algumas delas.

Cardiologia Pediátrica

Quem se encanta pelo mundo infantil e pela possibilidade de trabalhar com crianças pode focar na Cardiologia Pediátrica. Esse é o médico responsável por acompanhar a saúde cardiovascular desde o período gestacional até o fim da adolescência ou início da fase adulta de um paciente.

Ecocardiografia

O ecocardiograma é um exame do coração por ultrassom e muito utilizado para diagnósticos dentro da Cardiologia. Sua realização requer um profissional que domine o assunto e seja treinado para desempenhar essa tarefa em todas as suas modalidades.

Hemodinâmica

Os cardiologistas que se identificam mais com o estudo da circulação sanguínea devem focar nessa especialidade. Nessa condição, eles devem lidar com tratamentos como cateterismo, lesões coronárias e afins.

coração cardiologia

Sociedade Brasileira de Cardiologia

A instituição que dá suporte ao trabalho dos cardiologistas no nosso país se chama Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Ela existe desde 1943 e acompanha toda a evolução dessa vertente da Medicina, representando uma importante referência para os profissionais da área.

Ao todo, são mais de 13 mil sócios que formam a terceira maior sociedade cardiológica do mundo. A SBC incentiva a pesquisa científica e a divulgação dos resultados obtidos para informar a população. Além dos grupos de estudo e de cursos especializados, ela organiza anualmente os Congressos Brasileiros de Cardiologia.

Instituto de Cardiologia

Outro órgão de peso dentro do universo da Cardiologia é o Instituto de Cardiologia. Ele foi criado em 1966 com o intuito de promover o conhecimento e toda a assistência médica em Cardiologia no Brasil. Atualmente, é responsável pela gestão de cinco hospitais de grande relevância no cenário nacional que servem como centros cardiológicos de alta especialização.

O instituto funciona hoje com uma Fundação Universitária de excelência no mercado de ensino e que prepara centenas de profissionais da saúde.

Curso técnico em Cardiologia

Por último, vamos esclarecer uma dúvida que muitas pessoas têm em relação aos cursos de Cardiologia disponíveis. Já falamos sobre a especialização na área cardiológica, mas ainda existe a formação técnica no mesmo segmento.

A grande diferença é que essa segunda opção não é uma residência médica e sim um curso de nível técnico, que normalmente é direcionado para os técnicos em Enfermagem que desejam aprofundar o conhecimento no ramo cardiovascular. Isto é, são formações distintas e que abordam um assunto comum.

De qualquer forma, vale lembrar que para atuar como um médico cardiologista é preciso passar todas as etapas da Medicina primeiro e, depois, cumprir os requisitos da especialização em Cardiologia. Apenas esses profissionais são autorizados a tratar pacientes nessa especialidade.

O que achou de conhecer um pouco mais desse tema? Se você tem interesse pela carreira médica e ainda não tem certeza do que fazer, confira nosso artigo que reúne 5 dicas para ajudar na escolha de um curso superior.

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também