Quando o assunto de uma conversa é decoração, você é o tipo de pessoa que logo presta atenção e tem uma opinião a dar por gostar do tema e, sempre que tem oportunidade, se manter inteirado dele? Então a formação em Design de Interiores pode ser uma excelente opção quando for a sua hora de prestar vestibular.

Afinal, o planejamento e concepção de ambientes internos é o ponto-chave desse curso. Ficou interessado em saber mais sobre essa graduação? Em especial, como ela prepara o estudante para um mercado de trabalho desafiador e marcado pela renovação constante de tendências? Pois acompanhe o nosso post até o fim!

O que é Design de Interiores?

O Design de Interiores é o segmento que monta a decoração de cômodos em lares e ambientes em espaços comerciais, sejam eles isolados, sejam eles conjugados (inclusive com áreas externas). Para tanto, os profissionais da área produzem a planta do local e, a partir dela, planejam todos os detalhes que vão compor o recinto, como mobiliário — muitas vezes, idealizados e produzidos por eles próprios —, itens decorativos, instalações elétricas e luminotécnicas, materiais usados para revestir as superfícies, acabamentos etc.

O grande “X” da questão é que a escolha dessas peças não é pensada apenas pelo viés estético. O trabalho do designer de interiores é ir além do impacto visual, pensando em questões que melhorem a usabilidade do espaço e o tornem mais confortável e convidativo para as pessoas no dia a dia.

Design de Interiores: curso

Se você quer seguir a carreira de designer, o caminho mais simples é realizar um curso tecnológico de Design de Interiores. Com duração média de dois anos, ele oferece uma formação centrada nas atividades que são requisitadas pelo mercado.

O objetivo disso é simples: preparar os alunos para desenvolver não apenas um senso estético sobre a formulação de ambientes internos, mas também capacitá-los a conhecer a fundo sobre aspectos legais envolvendo construções e impactos ambientais e o principal: a dominar técnicas de decoração, acústica, ergonomia, luminotécnica, marcenaria, uso de softwares 3D etc. Nessa graduação, você vê disciplinas como:

  • Conforto Acústico e Luminotécnica;
  • Profissão e Ética;
  • Responsabilidade Social e Ambiental;
  • Ergonomia e Acessibilidade;
  • Elaboração de Projetos;
  • Paisagismo;
  • Modelagem 3D;
  • Desenho e Perspectiva;
  • Indústria Criativa e Design;
  • Design de Pequenos Objetos;
  • Desenho de Mobiliário;
  • Gerenciamento de Obras;
  • Estética e História da Arte.

Contudo, há outra possibilidade para atuar na área: fazer um curso de Arquitetura e Urbanismo. Nesse caso, você se forma como arquiteto após a conclusão de 10 semestres e pode trabalhar com projetos arquitetônicos que envolvem desde a idealização de prédios e demais instalações urbanas até a formulação de espaços públicos que impactam a mobilidade, a acessibilidade, o controle e a proteção ambiental e o lazer social dos cidadãos.

Ao escolher a primeira atividade, você pode se dedicar exclusivamente à decoração de interiores dos mais diferentes imóveis públicos e privados. O trabalho é, basicamente, o mesmo que é realizado pelo designer de interiores.

A diferença é que, por ser um arquiteto, você tem a possibilidade de realizar uma reformulação mais profunda nos ambientes, o que inclui não só obras de construção, mas também mudanças na estrutura física do local — funções estas que são permitidas apenas aos profissionais de Arquitetura e Urbanismo, conforme previsto na Lei nº 12.378/10.

Eligis - teste vocacional e profissional

Design de Interiores: faculdades

A graduação em Design de Interiores é amplamente oferecida por faculdades particulares, onde é possível fazê-la presencialmente, a distância ou de forma semipresencial. Abaixo, você confere uma lista com algumas das principais instituições:

  • Faculdade Anhanguera;
  • Universidade Santa Cecília;
  • Centro Universitário Tiradentes;
  • Centro Universitário de João Pessoa;
  • Universidade Potiguar;
  • Universidade Paulista;
  • Faculdade Farias Brito;
  • Universidade Vila Velha;
  • Faculdade Pitágoras;
  • Universidade Cruzeiro do Sul.

Design de Interiores: Senac

É interessante comentar que muitas escolas profissionalizantes, como o Senac, oferecem o curso técnico de Design de Interiores. Porém, não o confunda com uma graduação, pois ele não é uma formação acadêmica. Quem o faz pode, sim, trabalhar na área e assistir o designer graduado na área. No entanto, é este último quem está apto a realizar, supervisionar e promover alterações nos projetos de decoração de interiores.

Mercado de trabalho

Depois de falar a respeito da formação necessária para ser um designer de interiores, chegou o momento de trazer pontos importantes sobre o mercado de trabalho para quem deseja seguir essa área. Por isso, fique atento às próximas informações!

Design de interiores: salário

Os dados do site Vagas indicam que o designer de interiores no Brasil tem um ganho médio de R$ 2.574,00. No entanto, é válido lembrar que esse valor podem ser ainda maior no caso daqueles que atuam como profissionais freelancer, visto que a renda deles é composta não pela carga horária ou cargo ocupado, mas sim pela quantidade de projetos que eles realizam ao longo de um mês.

É preciso comentar também que, caso a formação do designer seja Arquitetura e Urbanismo, ele ganhará conforme o piso salarial estabelecido na Lei 4.950-A/66. Sem falar, que ainda terá leque muito maior de atividades profissionais.

Design de Interiores: carreira

O designer de interiores pode trabalhar em estúdios de design de mobiliário, escritórios de arquitetura e decoração, negócios de consultoria de ambientação residencial ou comercial e agências de composição visual para o segmento varejista. Além disso, há vários profissionais que depois de alguns anos de experiência acabam empreendendo e montando empresas no segmento — mesmo que atuem sozinhos.

Design de Interiores: tendências da área

A área de Design de Interiores é bem versátil, estando sempre em constante mudança para atender aos diferentes clientes. Não é para menos que muitos profissionais se dedicam a realizar projetos absorvendo correntes que fazem parte do estilo de vida de milhares de pessoas e que estão em alta no mercado, como a sustentabilidade e o veganismo — duas perspectivas que interferem fortemente não só na escolha de móveis e objetos decorativos, mas também na composição, alteração e utilização dos ambientes.

Porém, não há dúvidas de que a maior tendência do ramo é o serviço de decoração online. Isso porque, por meio de plataformas virtuais, os usuários podem entrar em contato com designers e solicitar a eles projetos reduzidos/parciais de um ou mais cômodos em vez de toda a residência. Dessa forma, o trabalho deles é popularizado e a demanda aumenta significativamente graças ao custo-benefício ofertado.

Como mostrado, para atuar com Design de Interiores você tem duas alternativas: fazer um curso tecnólogo na área ou se graduar em Arquitetura e Urbanismo para depois focar a carreira nessa atividade, especializando-se nela. Portanto, é essencial refletir sobre qual é o melhor caminho a seguir para o seu futuro e qual deles trará mais oportunidades de crescimento e realização profissional.

Curtiu o post e quer uma ajuda extra para se decidir? Então não se esqueça de fazer um teste vocacional para definir com qual das duas formações há maior compatibilidade!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também