Extrair qualquer recurso natural exige muita responsabilidade. Por isso, o curso de Engenharia de Minas tem o objetivo de preparar os alunos para atuarem de forma sustentável e ética no gerenciamento de atividades da área.

O engenheiro de minas pode exercer suas funções em diversas áreas, aproveitando os recursos minerais, tanto na pesquisa quanto na lavra e na expedição. Para isso, é importante a qualificação, pois quem se especializa tem boas chances de se destacar no mercado.

Quer saber mais sobre o caminho a ser trilhado nessa carreira para decidir qual curso fazer? Continue a leitura e saiba mais sobre o curso e a profissão da engenharia de minas!

Engenharia de Minas: curso

O curso de Engenharia de Minas prepara o aluno para descobrir e extrair os minérios da natureza e separar as matérias-primas minerais úteis daquelas sem aproveitamento.

A graduação é da modalidade bacharelado e tem duração média de 5 anos. Ela utiliza conhecimentos de diversas áreas da ciência, principalmente da geologia, química e física.

O curso visa à formação de profissionais habilitados para desempenhar atividades de pesquisa e prospecção mineral, captação de água subterrânea, lavra de minas, aberturas de vias subterrâneas, beneficiamento de minérios e serviços correlatos e aspectos ambientais relacionados.

Também é foco de estudo o planejamento a curto, médio e longo prazos dos empreendimentos minerários, além do relacionamento técnico e social com as comunidades em que atua.

Engenheiro de minas: o que faz?

O engenheiro de minas atua em diversos setores, como na busca por jazidas, na extração de minérios e em processamento, separação e concentração dos minerais. O profissional também é capaz de estimar o tamanho das reservas e a qualidade do minério.

Entre as funções do engenheiro de minas, estão:

  • estudar a viabilidade técnica e econômica da mina;
  • escolher equipamentos, materiais e recursos humanos necessários;
  • elaborar e executar projetos;
  • avaliar impactos ambientais;
  • atuar na reciclagem do que é descartável;
  • seguir a legislação ambiental;
  • lidar com tecnologia.

Engenharia de Minas UFMG

O curso de Engenharia de Minas da UFMG é um dos mais reconhecidos e procurados do Brasil. Criado em 1966, forma profissionais preparados para um mercado que se importa com a ética profissional, a responsabilidade com o meio ambiente e a inovação em processos minerais.

O currículo do curso inclui assuntos relacionados à geologia e topografia, ao tratamento de minérios, à lavra de minas, pesquisa mineral e a outros temas de caráter geral. Quem desejar pode utilizar as notas do Enem para se candidatar para as vagas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

engenharia de minas

Faculdades 

O curso de Engenharia de Minas pode ser feito em faculdades públicas e privadas reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) de todo o país. Entre as opções, estão:

  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade Federal do Ceará (UFC);
  • Universidades Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM);
  • Faculdade Pitágoras;
  • Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Engenharia de Minas: nota de corte

No Sisu 2020, a menor nota de corte para Engenharia de Minas foi 608,81 pontos, na Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Entre as faculdades estaduais, a menor nota de corte foi 652,81, na Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Já as maiores notas foram 788,06 e 778,05, na Universidade de São Paulo (USP) e na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), respectivamente.

No Programa Universidade Para Todos (Prouni), com bolsa de 50%, a menor nota de corte foi 498,2 pontos, registrada na Faculdade SATC. Já no Prouni 100%, a nota mais baixa foi 613,7, no Centro Universitário Luterano de Palmas.

A Faculdade do Noroeste de Minas registrou a maior nota de corte para o Prouni 100% em Engenharia de Minas — 642.16 pontos. No Prouni com bolsa de 50%, a maior nota foi 598.72, registrada no Centro Universitário de Belo Horizonte.

Eligis - teste vocacional e profissional

Engenharia de Minas: grade curricular

  • Além das disciplinas do ciclo básico, comuns a todas as Engenharias, a grade curricular da Engenharia de Minas inclui:
  • Topografia;
  • Prospecção Geofísica;
  • Mecânica das Rochas;
  • Operações Mineiras;
  • Geologia Estrutural;
  • Pesquisa Mineral;
  • Geologia Econômica;
  • Caracterização Tecnológica dos Minérios,
  • Condicionamento de Minas;
  • Desenvolvimento Mineiro;
  • Lavra de Mina a Céu Aberto e Subterrânea;
  • Estabilidade de Escavações Subterrâneas.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para a engenharia de minas está aquecido. O Brasil tem grande potencial de produção de minério, especialmente o de ferro. Por isso, o país é um dos maiores exportadores desse produto.

Assim, as mineradoras sempre buscam profissionais qualificados. Elas são as principais empregadoras, mas o engenheiro de minas também encontra oportunidades em indústrias de carvão, cimento, fertilizantes e química.

O mercado internacional também é promissor. Grandes multinacionais oferecem oportunidades para engenheiros que querem atuar no exterior, principalmente para aqueles que dominam a tecnologia brasileira.

Engenharia de minas: salário

Em média, o engenheiro de minas recebe um salário de R$ 10.656,27 para uma jornada de trabalho de 41 horas semanais. A faixa salarial varia entre R$ 9.725,86 e o teto salarial de R$ 20.288,31.

A carreira do profissional

Depois de formado, o engenheiro de minas pode atuar em diversas áreas. Em geral, elas estão relacionadas com as diversas atividades voltadas para a mineração e todo o impacto que ela pode causar no meio ambiente. Conheça algumas possibilidades de carreira:

  • prospecção — em conjunto com o geólogo, o engenheiro de minas visa a encontrar novos depósitos minerais;
  • lavra — nessa área, o profissional deve acompanhar o processo de tratamento de minério, além de desenvolver métodos para reduzir o impacto gerado pela atividade;
  • economia mineral — trata da realização de análises de viabilidade econômica e técnica dos projetos de mineração;
  • recuperação ambiental — visa a elaborar projetos de recuperação das características naturais do ambiente e devolver o equilíbrio dos processos que antes aconteciam no local;
  • pesquisa — na área de pesquisa e desenvolvimento, o engenheiro de minas cria novas tecnologias para potencializar o otimizar os processos de todas as atividades mineradoras.

Gostou de conhecer sobre o curso de Engenharia de Minas? Essa possibilidade pode ser interessante para quem gosta de exatas e quer trabalhar com desenvolvimento sustentável. Se ainda não se decidiu, você pode fazer um teste vocacional.

Ficar em dúvida sobre qual carreira seguir é normal! Complemente a leitura e confira 5 dicas para ajudar na escolha do seu curso!

Você pode gostar também