Sendo classificada por muitos como a mais ampla de todas, a Engenharia Industrial é um tipo de formação relativamente nova, porém, já atrai a atenção de muitos vestibulandos pelo Brasil que têm o sonho de se tornarem engenheiros.

Entretanto, mesmo sendo um curso bastante visado, são poucos os estudantes que sabem de fato o que é aprendido na faculdade de Engenharia industrial, bem como quais são as possibilidades de carreira e a atual realidade do mercado de trabalho para essa área.

Por esse motivo, visando esclarecer todos esses pontos, preparamos um conteúdo direto e bem didático. Acompanhe!

O que é Engenharia Industrial?

Engenharia Industrial é um curso de graduação em que o estudante aprende as mais variadas práticas de engenharia (principalmente as que envolvem conceitos de mecânica, produção e automação) que são aplicadas na indústria em geral.

Desse modo, essa formação permite ao estudante atuar no mais diversos setores da economia, desde uma fábrica de carros (indústria automobilística) até em uma refinadora de petróleo (indústria petrolífera).

Engenharia de Automação Industrial 

Já a Engenharia de Automação Industrial (curso que também é encontrado com o nome de Engenharia de Controle e Automação Industrial) é a parte da engenharia que tem como especificação o trabalho com projetos de automação, ou seja, onde há a mescla entre mecânica, elétrica e programação.

Com isso, enquanto a Engenharia Industrial é um ramo mais abrangente, a de Automação Industrial foca os estudos na parte de mecatrônica, tendo assim um caráter mais específico.

Engenharia Industrial: curso

Sendo ofertado na modalidade de bacharelado e podendo ser concluído em no mínimo 5 anos (ou 10 semestres letivos), esse curso é encontrado tanto em universidades privadas quanto em públicas.

Grade curricular

Contendo majoritariamente disciplinas da área da exatas (principalmente as que envolvem Matemática, Física e Química), a grade curricular do curso de Engenharia Industrial contém as seguintes matérias:

Eligis - teste vocacional e profissional

1º Período

  • Geometria Descritiva;
  • Química I;
  • Cálculo Vetorial e Geometria Analítica;
  • Metodologia Científica;
  • Português I;
  • Matemática Fundamental. 

2º Período

  • Desenho Técnico;
  • Cálculo Diferencial e Integral I;
  • Química II;
  • Física I;
  • Química Experimental;
  • Introdução à Engenharia;
  • Filosofia;
  • Álgebra Linear.

3º Período

  • Fundamentos da Realidade Brasileira e Cidadania;
  • Físico-química;
  • Computação Aplicada à Engenharia;
  • Física II;
  • Cálculo Diferencial e Integral II;
  • Probabilidade e Estatística;
  • Psicologia das Relações no Trabalho;
  • Princípios de Ergonomia. 

4º Período

  • Físico-química Experimental;
  • Mecânica Geral;
  • Introdução à Economia;
  • Cálculo Diferencial e Integral III;
  • Termodinâmica;
  • Química Orgânica;
  • Desenho Assistido por Computador;
  • Física III. 

5º Período

  • Resistência dos Materiais I;
  • Eletricidade Fundamental;
  • Custos Industriais;
  • Fenômenos de Transporte I;
  • Administração Contemporânea;
  • Métodos Analíticos I;
  • Eletrônica Básica.

6º Período

  • Fenômenos de Transporte II;
  • Engenharia do Meio Ambiente;
  • Higiene e Segurança do Trabalho;
  • Cálculo Numérico;
  • Controle de Qualidade;
  • Operações Unitárias I;
  • Análise Instrumental I;
  • Materiais de Construção Mecânica I;
  • Resistência dos Materiais II.

7º Período

  • Métodos Analíticos II;
  • Tecnologia do Couro;
  • Tecnologia de Materiais Poliméricos;
  • Operações Unitárias II;
  • Análise Instrumental II;
  • Tecnologia de Materiais Cerâmicos.

 8º Período

  • Tecnologia Metalúrgica;
  • Análise Produtiva de Materiais Poliméricos;
  • Tecnologia do Calçado;
  • Análise Instrumental III;
  • Operações Unitárias III.

 9º Período

  • Tecnologia Têxtil;
  • Aplicações Industriais do Calor 2;
  • Processo de Fabricação de Metais;
  • Tecnologia de Celulose e Papel;
  • Estágio.

10º Período

  • Reatores;
  • Aplicação de Novos Materiais na Engenharia;
  • Tecnologia de Alimentos;
  • Trabalho de Conclusão. 

Formas de ingresso

Para quem deseja ser um engenheiro industrial, uma das principais formas de ingresso no ensino superior sem dúvidas é a realização do Enem e a posterior participação no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

curso de engenharia industrial

Fazendo isso, o vestibulando consegue concorrer a uma vaga em Engenharia Industrial em todas as universidades do Brasil que aceitam a nota do Enem como forma de ingresso (que basicamente englobam todas as instituições federais de ensino do país).

Já para aquelas faculdades que não aderem ao Enem (é o caso de uma parcela das instituições privadas), a solução é participar do seu processo seletivo específico, mais conhecido como vestibular tradicional (que é aplicado e organizado pela própria instituição).

Faculdades Engenharia Industrial

Entre as faculdades que oferecem esse curso podemos destacar:

  • Universidade Federal do Paraná (UFPR);
  • Universidade Estadual de São Paulo (Unesp);
  • Instituto Federal da Bahia (IFBA);
  • Centro Universitário de União de Vitória (Uniuv);
  • Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac);
  • Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep).

Mercado de trabalho

Como já destacamos acima, a grande vantagem dessa área é que ela é muita abrangente, ou seja, há várias oportunidades de trabalho para seus profissionais.

Exemplificando, atualmente o mercado de trabalho para essa engenharia é bastante aquecido nos polos industriais brasileiros, os quais estão presentes em grande parte das capitais do país e suas respectivas regiões metropolitanas.

Carreira do profissional 

A carreira desse profissional geralmente segue duas trajetórias: mercado privado ou concurso público.

Mercado privado

É a trajetória mais comum seguida por esses profissionais, os quais passam a trabalhar em empresas e corporações industriais privadas.

Concurso público

Há também a possibilidade de fazer um concurso público para essa área, se tornando assim um servidor público.

Entre os diversos concursos públicos possíveis dessa engenharia, ganha destaque o da Petrobras, o qual é muito bem reconhecido pela sua boa remuneração e estabilidade profissional.

Engenharia Industrial: salário

Sobre remunerações, o salário de um engenheiro industrial varia conforme o porte da indústria empregadora e os anos de experiência do profissional.

Para termos uma ideia, um engenheiro industrial recém-formado recebe uma média de R$ 3.000,00. Já os que tem mais tempo de atuação no mercado podem alcançar salários de até R$ 10.000,00.

Sendo assim, agora que você já sabe como é o curso de Engenharia Industrial fica mais simples de concluir se essa área realmente é compatível com seu perfil profissional. Vale lembrar ainda que é essencial o estudante que deseja ingressar nesse setor gostar muito de Matemática, Física e Química.

Achou legal aprender mais sobre a formação em Engenharia Industrial? Então conheça agora tudo sobre o curso de Engenharia Naval!

Você pode gostar também