Prisão de ventre e cólicas intestinais são sintomas que acometem grande parte da população diariamente. Entretanto, mesmo sendo comuns, poucas pessoas sabem qual especialidade médica trata desse assunto. Nesse contexto, ganha destaque uma área da Medicina pouco conhecida pela população em geral: a coloproctologia.

Integrando uma das 53 possibilidades de especialização da Medicina, a coloproctologia é um campo de estudos que, infelizmente, no Brasil, não é composto por muitos profissionais. Com isso, os médicos especialistas nessa área tendem a ser cada vez mais valorizados pelo mercado de trabalho.

Mas você já sabe o que é coloproctologia e como é a carreira médica nesse ramo? Acompanhe o post e conheça!

O que é coloproctologia?

Coloproctologia é a parte da Medicina que estuda em detalhes o intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus, o que engloba desde análises sobre o funcionamento adequado desses organismos até o tratamento e/ou a intervenção cirúrgica no caso de doenças graves.

Em outras palavras, o coloproctologista é o médico mais capacitado profissionalmente para tratar de assuntos como constipação intestinal, problemas na evacuação, enfermidades dos intestinos e também sobre doenças sexualmente transmissíveis que afetam a região anal.

Doenças tratadas pelo coloproctologista

Existem inúmeras possibilidades de doenças que podem acometer os órgãos que são estudados pela coloproctologia, sendo as principais:

  • fissuras anais;
  • sangramentos intestinais;
  • inflamação no intestino;
  • tumores no intestino grosso, delgado e no reto;
  • hemorroidas;
  • infecções anais sexualmente transmissíveis;
  • constipação intestinal;
  • prolapso retal;
  • incontinência anal;
  • prolapso retal.

Além dessas, vale ressaltar que os mais diversos tipos de câncer que podem surgir nos intestinos, reto e ânus também são tratados e identificados pelo médico coloproctologista.

Área de coloproctologia

Para um médico estar apto a atuar na área de coloproctologia, são necessários, no mínimo, 11 anos de estudos, dos quais 6 anos fazem parte do curso regular de medicina e mais 5 anos de duas residências (em coloproctologia e cirurgia geral).

Curso de medicina

Encontrado em diversas faculdades espalhadas pelo Brasil (tanto em instituições públicas quanto em particulares) o bacharel em Medicina é o primeiro passo obrigatório para quem deseja um dia especializar-se em coloproctologia.

Eligis - teste vocacional e profissional

Especialização em coloproctologia

Como ressaltamos anteriormente, esse tipo de especialização exige a realização de duas residências: a de coloproctologia e a de cirurgia geral.

Em outras palavras, ao concluir essa especialidade, o profissional, além de estar capacitado para atividades como identificação e prevenção de doenças, também é qualificado para realizar cirurgias.

Mercado de trabalho 

Por se tratar de uma área da medicina que exige, no mínimo, 11 anos de preparação, o mercado de trabalho para o coloproctologista é considerado excelente, já que há muitas oportunidades para relativamente poucos profissionais aptos.

Para exemplificar, segundo dados fornecidos pelo próprio Conselho Federal de Medicina — CFM, apenas 0,5% do médicos escolhem a especialização em coloproctologia, evidenciando ainda mais a escassez desse profissional no mercado de trabalho.

Por esse motivo, esse especialista médico é muito bem valorizado em:

  • hospitais particulares;
  • clínicas e centros de saúde de coloproctologia;
  • hospitais e centros públicos de saúde (naturalmente após ser aprovado em um concurso).

Carreira do coloproctologista

carreira coloproctologista

Em relação às possibilidades de carreira, podemos destacar 4 trajetórias: carreira acadêmica, servidor público, rede particular e negócio próprio.

Carreira acadêmica

Na academia, o coloproctologista pode trabalhar lecionando aulas para estudantes de graduação e pós-graduação e também integrar laboratórios de pesquisa, buscando aprimorar técnicas de identificação de doenças e novos métodos cirúrgicos.

Servidor público

Existem diversos concursos públicos que contemplam essa especialidade no Brasil, dando a possibilidade de o coloproctologista atuar como um servidor público (principalmente municipal e estadual) em hospitais e Unidades de Pronto Atendimento — UPAs.

Rede particular

Essa certamente é a carreira mais comum, onde o médico passa a ser funcionário em uma empresa de saúde privada (seja atendendo vários pacientes em hospitais e clínicas particulares, de forma exclusiva para planos de saúde).

Negócio próprio

Abrir a própria clínica médica também é uma opção de carreira. Contudo, essa trajetória geralmente passa a ser mais viável após anos de experiência no mercado.

Isso porque o investimento na infraestrutura mínima (o que inclui desde aquisição de equipamentos até a contratação de outros funcionários) é bem elevado, exigindo um alto custo financeiro.

Coloproctologia: salário 

Em relação à remuneração, os valores podem variar conforme são os anos de experiência do médico. Para termos uma ideia, o coloproctologista no início de carreira ganha em torno de R$ 10.000,00.

Já os mais experientes podem alcançar salários que variam de R$ 15.000,00 até R$ 20.000,00.

Onde estudar?

Entre as universidades brasileiras que ofertam a graduação em Medicina, temos:

  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS);
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
  • Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP);
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE);
  • Universidade Federal de Santa Maria (UFSM);
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);
  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ);
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA);
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR);
  • Universidade de Brasília (UNB);
  • Universidade Federal do Ceará (UFC);
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC);
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas);
  • Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul (PUC RS).

Sobre a especialização em coloproctologia, existem poucas instituições médicas no Brasil que oferecem estudos nessa área, sendo o Hospital Israelita Albert Einstein uma das principais referências no país.

Sendo assim, após a leitura deste post, fica mais simples de compreender o porquê dos profissionais da coloproctologia serem tão valorizados em nosso país. Cabe enfatizar, ainda, que, mesmo depois de formado, um médico coloproctologista precisa continuar a buscar conhecimento, já que constantemente surgem novos estudos acerca de atualizações na área.

Agora que você já sabe quais são as opções de carreira de um médico coloproctologista, bem como a realidade do mercado de trabalho, veja também o que faz um médico ortomolecular!

Você pode gostar também