Tem vocação para as ciências exatas, mas também gosta de estudar o universo da Química e está em busca de uma carreira que equilibre esses dois assuntos? O curso superior de Engenharia Química pode sera escolha certa para você!

Pensando nisso, preparamos este guia completo com tudo o que você precisa saber sobre o dia a dia do engenheiro, a graduação e o mercado de trabalho. Continue a leitura e descubra as possibilidades que essa profissão pode trazer. Vamos lá?

O que é a Engenharia Química?

A Engenharia Química é um segmento do amplo campo da engenharia que é responsável pelo estudo, análise, melhoramento e aplicação de substâncias e processos químicos para projetar, construir e operar matérias-primas utilizadas em diferentes tipos de indústria.

Por englobar conhecimentos de diversas áreas — química, física, biologia, matemática e tecnologias —, esse ramo também é conhecido como engenharia universal.

O que faz um engenheiro químico?

O engenheiro químico é responsável pelo controle dos processos químicos, físicos e biológicos de diferentes projetos industriais. Dependendo do perfil da empresa, ele pode atuar em diferentes áreas, como:

  • pesquisa de substâncias e fórmulas químicas;
  • desenvolvimento de novos métodos de produção;
  • definição de parâmetros de análise e controle de qualidade;
  • operação de laboratórios e equipamentos técnicos;
  • documentação das atividades realizadas.

Essas possibilidades permitem que o profissional da Engenharia Química encontre oportunidades em diferentes campos de atuação, da indústria petroquímica à farmacêutica e alimentícia.

Curso de Engenharia Química

Por ser uma área específica da engenharia, essa graduação traz diversos conhecimentos comuns a outros cursos de exatas. Por isso, prepare-se para muito cálculo, fórmulas matemáticas, física, diversos conteúdos relacionados a Biologia e, é claro, muita química.

Embora as grades curriculares apresentem algumas variações dependendo da faculdade escolhida, ao longo dos 10 semestres do curso, você, provavelmente, vai encontrar algumas das seguintes disciplinas:

  • bioquímica;
  • ciência dos materiais;
  • desenho técnico;
  • eletromagnetismo;
  • geometria analítica;
  • mecânica;
  • química analítica quantitativa e qualitativa;
  • reações e processos físico-químicos;
  • resistência dos materiais;
  • síntese e análise orgânica;
  • termodinâmica química;
  • tratamento de efluentes.

Além disso, algumas instituições de ensino já contam com conteúdos relacionados a gestão de meio ambiente, administração e novas tecnologias aplicadas à indústria, preparando os alunos para as demandas mais atuais do mercado.

Em paralelo às disciplinas teóricas, o bacharelado em Engenharia Química também inclui muitas aulas práticas, sendo que, para conquistar o diploma, são obrigatórias a realização de um estágio supervisionado e a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Onde cursar Engenharia Química?

O curso superior de Engenharia Química é oferecido por faculdades públicas e particulares nos diversos estados do Brasil. Por isso, a dica para fazer uma boa escolha é avaliar algumas questões importantes, como indicadores de qualidade da instituição de ensino, grade curricular, corpo docente e outros diferenciais que podem contribuir com a sua formação.

Universidades em destaque

Entre as instituições de ensino que oferecem a graduação em Engenharia Química, as universidades federais e estaduais ainda detêm a maior popularidade quando o assunto em pauta é a qualidade da grade curricular, corpo docente e projetos de pesquisa.

Entre elas, podemos destacar: a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR).

Eligis - teste vocacional e profissional

Engenharia Química EAD

Para quem precisa de flexibilidade de horários para estudar, a educação a distância pode ser uma boa opção! As aulas, exercícios e materiais complementares são disponibilizados em um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), e os alunos podem interagir com seus tutores e outros colegas por meio de chats e fóruns de discussão.

O importante é manter uma boa disciplina nos estudos, ficar de olho nas datas de entrega das atividades e comparecer ao polo de apoio presencial para a realização das provas e apresentação do trabalho de conclusão de curso.

Vale a pena destacar, ainda, que a carga horária e a grade curricular são semelhantes às do curso presencial, e os valores são mais acessíveis, garantindo um bom custo-benefício.

Nota de corte: Engenharia Química

De acordo com as informações do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) do Ministério da Educação, a maior nota de corte para o curso de Engenharia Química nas universidades públicas foi 722.66, e a menor, 450.2.

Para as instituições particulares, esses índices podem variar, já que algumas utilizam o ProUni, o FIES ou têm um processo seletivo diferente para classificação dos candidatos.

Como é o estágio em Engenharia Química?

Como já apontamos, o estágio em Engenharia Química é obrigatório para a conclusão do curso.

A quantidade de horas exigida pode variar de acordo com os critérios de cada faculdade, mas, independentemente da instituição, a experiência é muito importante para que o futuro profissional conheça de perto os desafios da rotina de trabalho.

Quanto ganha um profissional da Engenharia Química?

De acordo com dados da Catho, a média salarial de um engenheiro químico no Brasil ultrapassa os R$ 5.800,00. Tudo vai depender do segmento da empresa contratante, da região do país e do momento da carreira em que o profissional se encontra.

Como está o mercado de trabalho para os engenheiros químicos?

Após cinco anos de muito estudo, provas e trabalhos, a boa notícia é que o mercado de trabalho reserva boas oportunidades aos profissionais Engenharia Química!

Depois de formado, você poderá se candidatar a cargos em diversos segmentos da indústria, podendo atuar em todas as etapas do processo produtivo: da pesquisa de matéria-prima à entrega do produto final.

Nesse aspecto, dois campos da economia merecem um destaque especial:

  • com o crescimento das obras de infraestrutura, a Engenharia Civil tem se aliado à Química na busca de novos materiais para a construção;
  • a preocupação com a preservação do meio ambiente, que tem exigido novos projetos na área de tratamento de efluentes e de resíduos urbanos e industriais.

Por fim, é importante lembrar que, além do diploma de conclusão do curso, todo engenheiro precisa estar inscrito no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) para exercer a profissão regularmente.

Agora que você já está bem informado sobre a carreira em Engenharia Química, temos uma dica imperdível: aproveite para conferir os outros conteúdos do blog Orientu e fique por dentro do mundo das profissões e faculdades!

Você pode gostar também