Já pensou em representar o país perante outras nações? A carreira diplomática envolve essa e outras responsabilidades tão importantes quanto. Um diplomata deve estar por dentro de diversos assuntos, como Direitos Humanos, meio ambiente e temas sociais. Por isso é um cargo para quem tem sede de conhecimentos e boa relação interpessoal.

Você gostou da ideia de se tornar um diplomata? Saiba que o cargo é tão interessante que algo muito difícil de acontecer é alguém pedir para sair. Quer entender mais sobre essa profissão que pode ser a da sua vida? Então continue a leitura, pois é sobre isso que falaremos neste post. Vamos lá?

Carreira diplomática: o que é?

Muito se fala sobre ser um diplomata, mas você sabe exatamente o que é? Ele é um funcionário público que tem como atribuições manter um bom relacionamento com os outros países.

Em poucas palavras, o diplomata representa a nação em negociações e está por dentro de informações importantes sobre a política externa brasileira.

Além disso, é de responsabilidade do diplomata prestar auxílio aos brasileiros que estão fora do país e que precisam de alguma ajuda, o que é chamado de serviço consular. Resumindo: o diplomata é um profissional que está a serviço de seu país atuando da melhor maneira possível para manter as relações favoráveis com as demais nações.

Diversos diplomatas ficaram famosos na História do Brasil ganhando notoriedade na carreira diplomática, como:

  • José Bonifácio de Andrada e Silva;
  • Rui Barbosa de Oliveira;
  • José Maria da Silva Paranhos (Visconde do Rio Branco);
  • Oswaldo Aranha.

Como se tornar um diplomata?

É bem comum as pessoas acharem que, para ser diplomata, é preciso ser formado em Direito, mas não é bem assim que funciona.

Para concorrer ao cargo, basta ter alguma formação superior em qualquer área, como Economia, História, Relações Internacionais, ou outra que ofereça base para a profissão.

Ficou interessado em se tornar um diplomata? Então anote aí o que deve fazer. Além de se formar em um curso superior, é preciso passar na prova do concurso realizado pelo Instituto Rio Branco (falaremos dele mais à frente).

Esse concurso de Admissão à Carreira de Diplomata é separado por fases, sendo a primeira com questões objetivas e a segunda com questões dissertativas.

Em algumas edições, existiram a terceira e a quarta fase, mas desde 2019 elas não ocorrem. Em todo caso, é interessante ficar por dentro dessa informação.

Embora pareça algo relativamente fácil, em que só é preciso passar em uma prova, saiba que o concurso é muito concorrido e com alto grau de dificuldade.

Os candidatos se preparam por anos. Por isso, faça desse plano um projeto de longo prazo. Entretanto, com estudo e dedicação, é muito possível ingressar na carreira diplomática.

Como as provas têm um mesmo modelo há anos, a dica aqui é estudar também pelos exames das edições anteriores. Para ser um diplomata, a idade mínima é de 18 anos e a máxima é de 70 anos.

aperto de mão diplomacia

A carreira diplomática no Brasil

Quando se fala em diplomata, logo pensamos em profissionais que viajam muito e que trabalham fora do país, nas nações com que o Brasil mantém relações internacionais.

No entanto, é uma ideia errada, pois isso não é regra. Há vagas para diplomatas em órgãos ligados ao Itamaraty distribuídos pelos estados brasileiros e em Brasília. No Rio de Janeiro, por exemplo, há diplomatas no Palácio do Itamaraty.

Podemos dizer que o diplomata exerce duas funções principais. A primeira é consular, quando defende o interesse de brasileiros em condições de necessidade em outros países. Já a segunda é a diplomática, quando defende a nação nas relações exteriores.

Dentro disso, ele tem diversas atuações que podem ser feitas em outras nações, ocupando espaço em embaixadas e consulados, e em organizações dentro do Brasil.

Instituto Rio Branco

O Instituto Rio Branco foi criado em 1945 e recebe esse nome em homenagem ao Barão do Rio Branco, que é o Patrono da Diplomacia Brasileira. Ele tem as finalidades de formação e aperfeiçoamento dos funcionários do Ministério das Relações Exteriores e de formar um núcleo de estudos sobre a diplomacia e as relações internacionais.

O Instituto é uma referência em academia diplomática e tem a responsabilidade exclusiva de selecionar os candidatos para a carreira diplomática desde 1946.

Itamaraty

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil é conhecido como Itamaraty. É um órgão ligado ao Poder Executivo Brasileiro, o que significa que tem relação direta com a Presidência da República. A instituição atua assessorando o presidente no relacionamento com outras nações e entidades estrangeiras.

Algumas das atribuições desse órgão é trabalhar nas relações internacionais de maneira política, comercial, financeira e econômica, representando, informando e negociando em nome do Brasil e de seus interesses.

Eligis - teste vocacional e profissional

Cargos da carreira diplomática

Depois que o candidato é aprovado no Concurso de Admissão e Carreira Diplomática, o CASD, o felizardo é considerado terceiro secretário, que é o primeiro cargo da carreira diplomática. Ao ser promovido, ele se torna segundo secretário e depois, primeiro secretário.

Continuando na evolução de sua carreira, o diplomata passa a ser conselheiro, após Ministro Segunda Classe e, enfim, o Ministro de Primeira Classe, que é o tão famoso Embaixador. A promoção do cargo de terceiro secretário para segundo secretário é baseada no tempo de casa do funcionário.

Já as outras evoluções levam em consideração não somente os anos de experiência, mas também a conclusão de cursos de atualização e a atuação no exterior.

Carreira diplomática: salário 

Depois de entender tudo da carreira diplomática, deve ter batido uma curiosidade para saber quanto ganha um diplomata, não é verdade? A remuneração é bem atrativa desde o primeiro cargo.

Assim que passa no concurso, o terceiro secretário ganha quase 20.000 reais. O segundo secretário recebe pouco mais de 21.000 reais e o primeiro secretário tem ganhos de quase 23.000 reais mensais.

Subindo no escalão da carreira, o conselheiro é remunerado com 24.500 reais, o ministro de segunda classe com 26.300 reais e o embaixador com mais de 27.000 reais. Ou seja, é uma profissão que, além de muito reconhecimento, tem salários bem altos.

A carreira diplomática envolve a representação do país perante as outras nações e a responsabilidade de manter boas relações internacionais.

Além disso, é o diplomata quem dá assistência aos brasileiros em outros países. Para conquistar a profissão, é preciso ter curso superior e prestar concurso específico para o cargo. Já pensou em seguir essa trilha? O prestígio e o salário são bem atraentes.

Quer entender se a carreira diplomática é a que mais tem a ver com você? Saiba que o teste vocacional pode ajudar nessa decisão!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também