Um dos motivos que atraem tantos vestibulandos para a área da Medicina é justamente o fato de que as atividades desempenhadas não se resumem ao atendimento e ao prognóstico clínico. Ao contrário, há outros segmentos a serem explorados e que garantem uma carreira de grande sucesso. Um bom exemplo disso, é o ramo da Cirurgia Plástica que está em alta no Brasil e movimenta um mercado próprio que não para de crescer ano após ano.

Por esse motivo, preparamos um post para falar a respeito do tema e mostrar o que é preciso para você seguir nessa profissão. Acompanhe!

O que é Cirurgia Plástica?

A Cirurgia Plástica é um procedimento realizado por médicos que tem, em princípio, o objetivo de reparar aspectos físicos do corpo humano que sofreram lesões geradas por acidentes ou foram impactados/modificados por problemas de saúde — sejam eles herdados geneticamente, sejam eles desenvolvidos ao longo da vida.

Com isso, ela restaura a autoestima e autoconfiança do indivíduo que tendem a ficar abaladas quando ele não reconhece e pode até rejeitar a própria imagem. Entretanto, também são comuns as intervenções nesse campo que promovem a mudança fisiológica do paciente apenas com fins estéticos, uma vez que ele deseja mudar parcial ou totalmente sua aparência.

No entanto, é interessante lembrar que, assim como outras cirurgias, esse procedimento é invasivo e traz riscos para o bem-estar das pessoas, mesmo que a níveis controlados. É por isso que aqueles interessados em realizar uma Cirurgia Plástica devem passar por um atendimento clínico prévio com o médico cirurgião, além de uma triagem com exames para assegurar o estado de saúde de cada um.

Em alguns procedimentos mais críticos, os pré-requisitos são ainda mais extensos e incluem avaliação psicológica para garantir que não haja sofrimento mental e surgimento de transtornos psicológicos tanto no pré-operatório quanto no pós-operatório — o que pode comprometer (e muito) o resultado desejado.

Quais as cirurgias plásticas mais realizadas?

Segundo o censo de 2018 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), foram registrados 1.742.861 procedimentos realizados — entre intervenções estéticas e reparadoras — nesse período em todo o território nacional, com um crescimento de 8% em relação aos dados do último levantamento feito em 2016. No top cinco das cirurgias plásticas mais procuradas pelos pacientes, estão:

  • aumento da mama;
  • lipoaspiração;
  • abdominoplastia;
  • mastopexia;
  • redução da mama.

Quanto ganha um cirurgião plástico no Brasil?

Conforme os dados do site Salário, um cirurgião plástico em nosso país ganha R$ 5.927,25 para um total de 22 horas trabalhadas por semana, o que dá, aproximadamente, uma jornada diária de apenas 4 horas e 44 minutos.

Porém, é necessário estar atento a um detalhe importante: essa faixa salarial é uma média entre os médicos que atuam exclusivamente com atendimento e realização de procedimentos de forma privada, os que prestam serviço pela rede pública de saúde (SUS), aqueles que trabalham somente com convênios de planos de saúde e, por fim, os que trabalham das três formas simultaneamente.

Isso porque, no Brasil, as operadoras de convênios são obrigadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) a ofertar um número mínimo de intervenções cirúrgicas de reconstrução, implante e correção física de problemas de saúde que trazem impacto estético quando não são tratados.

Tudo isso sem custo adicional para além do que o paciente paga no plano. É o caso, por exemplo, da reconstrução mamária, da gastroplastia, do implante de prótese testicular e da queiloplastia (com foco nas fissuras labiais), como destacado no rol de procedimentos da agência. Vale ressaltar que estes e outros procedimentos também são cobertos pelo Sistema Unificado de Saúde (SUS)caso o cidadão não tenha outra opção além da rede pública de atendimento.

Eligis - teste vocacional e profissional

Como se tornar um cirurgião plástico?

Você deve estar pensando: “Qual é a formação necessária para quem deseja seguir a carreira de cirurgião plástico?”. Por isso, vamos explicar as etapas necessárias para atuar nesse campo profissional. A primeira delas é concluir uma graduação em Medicina para obter o conhecimento necessário sobre o que é saúde e como ela impacta a nossa qualidade de vida, além de, é claro, estudar enfermidades, tratamentos medicamentosos, atendimento clínico, políticas de saúde etc.

Ao terminar esse bacharelado com a duração de seis anos, você será um médico generalista. Ou seja, embora possa atender e acompanhar os pacientes em instituições hospitalares e ambulatoriais, não poderá realizar intervenções cirúrgicas.

Para isso, será necessário realizar a segunda etapa: fazer uma residência em Cirurgia Geral que dura três anos. Nela, você se aprofundará nos aspectos fisiológicos do corpo humano, as respostas orgânicas aos procedimentos invasivos e os cuidados paliativos e intensivos para o pós-operatório.

Depois desses nove anos de estudo, você poderá operar pacientes com os mais diferentes quadros clínicos. Contudo, para atuar no segmento estético, será preciso se especializar nele por meio de uma residência em Cirurgia Plástica, o que levará mais três anos de aprendizado e aperfeiçoamento do saber teórico e técnico sobre os procedimentos de reparação plástica e os aspectos físicos e psicológicos relacionados à aparência humana.

Onde estudar Medicina?

O curso de Medicina está disponível em instituições públicas de ensino em todos os estados do país e também no Distrito Federal. A maioria delas conta com o Exame Nacional do Ensino Médio como única forma de ingresso. A seguir, você confere alguns desses centros universitários:

  • Universidade Federal de Roraima;
  • Universidade Federal do Acre;
  • Universidade do Estado de Mato Grosso;
  • Universidade de Brasília;
  • Universidade Federal Fluminense;
  • Universidade Federal do Espírito Santo;
  • Universidade Federal de Ouro Preto;
  • Universidade Federal da Fronteira Sul;
  • Universidade Federal de Santa Maria;
  • Universidade Federal do Piauí;
  • Universidade Federal do Cariri;
  • Universidade Federal da Bahia;
  • Universidade Federal da Paraíba.

Vale citar que as aulas nessas universidades são exclusivamente presenciais e ocorrem em período integral devido à extensão de conteúdos da grade curricular, das atividades acadêmicas e da vivência laboratorial que os alunos têm durante a formação.

Como é possível observar, optar pela carreira na área da Cirurgia Plástica requer longos anos de estudo e capacitação técnica, não só dentro do ambiente universitário, mas também nas residências médicas. Porém, ao atingir a qualificação necessária para atuar na área, você encontrará um mercado aquecido e com excelentes oportunidades de trabalho e êxito profissional.

Gostou do artigo? Então aproveite para conhecer outros campos de atuação dentro da Medicina que vão além dos procedimentos e tratamentos cirúrgicos, como a Ginecologia, a Oftalmologia e a Geriatria!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também