Você sabe o que é Endocrinologia? Quando se fala em Pediatria, Oftalmologia, Ginecologia e Psiquiatria, por exemplo, a grande maioria das pessoas é capaz de dizer de maneira precisa o que o médico faz em cada uma dessas áreas e quando é recomendado procurar atendimento em uma ou outra. 

Porém, essa não é a realidade de outras especialidades da Medicina, como é caso da Endocrinologia, que desperta dúvidas e incertezas não só na população em geral, como nos vestibulandos que sonham em entrar para o ramo da saúde.

Pensando nisso, preparamos um artigo para ajudar você a compreender o que é esse segmento e por que ele pode render um excelente futuro profissional. Acompanhe!

O que é Endocrinologia?

A Endocrinologia é um campo da Medicina que tem como propósito a atenção clínica, experimental, identificatória e investigativa acerca do sistema endócrino, o que inclui a hipófise, a tireoide, o pâncreas e as glândulas sexuais, mas não só. 

Ou seja, essa especialidade lida com partes do corpo humano que são responsáveis por produzir e liberar hormônios no organismo, afetando desde o funcionamento digestivo e circulatório até o cerebral e sexual.

O que faz um endocrinologista?

A partir dos estudos e pesquisas realizados ao longo da formação acadêmica e do atendimento clínico prestado aos pacientes no dia a dia de trabalho, o endocrinologista desenvolve um papel de grande relevância na sociedade.

Isso, porque ele orienta, prescreve fármacos, realiza tratamentos interventivos e atua de forma preventiva no combate ao aumento de transtornos de saúde gerados por conta de irregularidades anatômicas nas glândulas endócrinas, na produção hormonal ou na absorção orgânica dessas secreções.

Para se ter ideia, há diversas doenças causadas por conta desses três problemas e que afetam a qualidade de vida das pessoas, como o hipertireoidismo, a obesidade, a insuficiência adrenal e o diabetes — que, só no Brasil, alcança 7,6% da população (cerca de 15.922.000 de cidadãos), conforme levantamento da Sociedade Brasileira de Diabetes.

Eligis - teste vocacional e profissional

Como se tornar endocrinologista?

A construção da carreira de um endocrinologista acontece em três fases. A primeira é a entrada na faculdade de Medicina. Nela, ao decorrer de seis anos, você terá uma formação generalista sobre anatomia, fisiologia, correlação corpo e mente e reações orgânicas (contra agentes invasores e durante uso de fármacos).

Além disso, estudará sobre o sistema de saúde brasileiro (o SUS), a assistência médica em emergência e urgência e a interação da Medicina com áreas afins, como Nutrição, Psicologia, Odontologia e Fisioterapia — o chamado trabalho multidisciplinar em saúde, que ocorre em hospitais de todo o mundo.

A segunda etapa começa com a continuidade da sua formação. Aqui, você realizará uma residência em Clínica Médica que dura dois anos e lhe proporciona a imersão no atendimento, diagnóstico e tratamento (medicamentoso e paliativo) em casos não cirúrgicos e que não estão alocados em terapia intensiva.

Por fim, a terceira fase é a residência médica em Endocrinologia ou Endocrinologia e Metabologia, que só é possível realizar após a conclusão das capacitações anteriores.

Com duração de dois anos, você vivencia o acompanhamento médico de pacientes com problemas gerados por disfunções nas glândulas endócrinas, promove pesquisas e ensaios clínicos com foco nessas doenças e realiza — em ambiente ambulatorial e hospitalar — assistência nas subespecialidades do segmento.

Contudo, é preciso deixar claro que, mesmo após essa longa jornada de qualificação técnica e teórica, você ainda não pode se denominar endocrinologista. Para tanto, é preciso passar por um exame promovido pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). A avaliação é anual, e a aprovação nela é o que concede o título de especialista no campo.

Mercado de trabalho

Uma vez reconhecido como especialista em Endocrinologia, você pode realizar acompanhamento médico de sujeitos em todas as faixas etárias em hospitais e clínicas particulares e também em centros, unidades e institutos de referência em atendimento à população geridos e mantidos pelo Sistema Unificado de Saúde (SUS).

medico endocrinologia

Endocrinologia Esportiva

A Endocrinologia Esportiva é um segmento de atuação dos endocrinologistas que ganhou espaço no mercado graças ao aumento de pessoas que praticam exercícios físicos regularmente e que têm o esporte como atividade profissional. Aqui, o atendimento realizado não é generalizado para todo e qualquer paciente.

Ao contrário, ele é voltado especificamente para indivíduos que buscam uma melhor performance nas modalidades que praticam, uma mudança corporal (como a hipertrofia) ou uma adequação orgânica e metabólica a dietas alimentares e ao uso de suplementação. 

O espaço de trabalho também é mais restrito, sendo comum a presença desse profissional apenas em clínicas e consultórios particulares e conveniados às operadoras de planos de saúde.

Onde estudar?

Ao fazer uma pesquisa rápida na internet, você encontrará instituições de ensino superior que oferecem cursos de pós-graduação em Endocrinologia ou Endocrinologia e Metabologia. Essa é uma alternativa para quem almeja atuar na área, mas não quer integrar um programa de residência — que, somando os dois tipos que já mencionamos, dura quatro anos — ou não obteve êxito nos processos seletivos para participar de um.

Ao longo da especialização, que tem duração de quatro semestres, você aprofunda o seu estudo nas formulações científicas do funcionamento e das implicações dosistema endócrino sobre o bem-estar e a saúde das pessoas, envolve-se com pesquisa sobre desordens e síndromes orgânicas e realiza práticas de atendimento em estágio obrigatório. Abaixo, você confere algumas das instituições em que pode fazer essa pós:

  • Universidade de São Paulo;
  • Universidade Estadual do Rio de Janeiro;
  • Universidade Federal do Ceará;
  • Faculdade Evangélica Mackenzie;
  • Instituto Brasileiro de Ensino;
  • Centro Universitário Filadélfia.

Vale lembrar que, apesar de o curso se chamar especialização, concluí-lo não o torna um especialista. O caminho a ser seguido é o mesmo do médico que termina a residência: você deve realizar a prova anual de título da SBEM para ser identificado regularmente pelo órgão e o Conselho Federal de Medicina (CFM).

Ao longo do post, você viu como os segmentos da Medicina buscam focar aspectos limitados do corpo humano a fim de proporcionar um atendimento mais técnico e prático, com embasamento teórico e respaldo científico ao lidar com os problemas que afetam o seu bem-estar — e isso não seria diferente com a Endocrinologia. Portanto, se esse campo chamou a sua atenção, prepare-se desde já para uma rotina de estudos complexa, mas, ainda assim, proveitosa e muito satisfatória.

E já que falamos sobre vestibulandos e a definição da área de atuação, aproveite para conferir cinco dicas que ajudam (e muito) na hora de escolher o curso!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também