Quando o assunto é relações exteriores (seja no campo da política, seja em questões econômicas), é muito comum de escutarmos nos jornais notícias e informações acerca do papel da embaixada do Brasil em um determinado país. Contudo, mesmo se tratando de um tema que constantemente está na mídia, poucas pessoas sabem de fato qual é o papel de uma embaixada e o que faz um embaixador.

Em vista disso, com o objetivo de responder essas e outras perguntas acerca do embaixador e da sua relevância para o país, preparamos um conteúdo que mostra tudo sobre essa profissão. Boa leitura!

O que é um embaixador?

O embaixador é um funcionário diplomático do mais alto escalão do governo federal, o qual tem como objetivo representar o seu país atuando dentro de outra nação. Em outras palavras, o embaixador é um cargo político internacional, o qual é subordinado apenas ao presidente da República.

De início, já percebemos então que esse cargo é extremamente exclusivo e com poucas vagas; para sermos ainda mais precisos, atualmente existem apenas 139 embaixadores brasileiros.

O que faz um embaixador?

embaixador

A principal função de um embaixador é a defender a soberania e os interesses do seu país, o que pode envolver assim temas como economia, política, cultura e educação.

Economia

No campo econômico, o embaixador fica responsável por fechar novos negócios e acordos comerciais entre o Brasil e o país em que ele trabalha. Desse modo, ele pode atuar como uma espécie de intermediador, identificando as oportunidades comerciais que podem ser exploradas pelo Brasil conforme as características econômicas dos outros países.

Política

Na esfera política, a atuação do embaixador é essencial, isso porque, como ele é a representação máxima do Brasil fora do país, sua postura precisa condizer com os interesses previamente estipulados pelo governo federal.

Com isso, o embaixador pode ser visto também como um político internacional, o qual media o diálogo entre as duas nações e fica responsável por organizar missões diplomáticas.

Educação

Quando o tema é educação, o embaixador também assume um papel crucial para a defesa e o desenvolvimento dos interesses acadêmicos do Brasil. Desse modo, esse profissional pode trabalhar buscando parcerias entre as universidades, com a intenção de:

  • aumentar o número de programas de intercâmbio;
  • firmar acordos de incentivo à pesquisa e desenvolvimento científico;
  • estreitar as relações acadêmicas e reduzir a burocracia internacional para beneficiar o andamento das pesquisas acadêmicas.

Exemplo de atuação

Para ficar mais simples a compreensão do trabalho de um embaixador, veja a seguir um exemplo em que embaixadores brasileiros precisaram intervir para beneficiar os interesses do Brasil.

Importação de equipamentos para a saúde

No início da pandemia de Covid-19 no Brasil, no mês de março de 2020, nosso estoque de máscaras a princípio não era suficiente para o uso tanto dos profissionais da saúde quanto da população.

Como havia outros países que já tinham atravessado o pior cenário da pandemia (como a China e a Itália), começou a surgir uma corrente de ajuda, com a doação de Equipamentos de Proteção Individual — EPIs para os países que mais precisavam no momento.

E foi nesse contexto que a atuação dos embaixadores brasileiros foi essencial, pois, por meio deles, o Brasil conseguiu aumentar as importações de EPIs para a saúde e insumos em geral para o combate ao novo coronavírus.

Carreira do embaixador

Por lei, um diplomata brasileiro não pode ser embaixador de um país por mais do que cinco anos, fazendo assim com que a carreira do embaixador seja caracterizada por muitas mudanças e o surgimento de novos desafios periodicamente, já que eles constantemente alternam os locais dos cargos.

Com o passar dos anos, é muito comum esse profissional atuar como embaixador em diversos países diferentes, em períodos curtos, geralmente de 2 a 4 anos. Outra possibilidade é a de trabalhar em Brasília, cuidando de questões diplomáticas e relações exteriores.

Eligis - teste vocacional e profissional

Como se tornar um embaixador?

É somente o presidente da República em exercício quem nomeia um embaixador, e essa nomeação pode ser feita com base em dois fatores: trajetória política e preferências particulares.

Trajetória política

Um dos caminhos para se tornar um embaixador é alcançando primeiramente um cargo de ministro de primeira classe, mais precisamente dentro do Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty. Feito isso, o profissional precisa ainda acumular no mínimo 20 anos de experiência para então se tornar elegível a um cargo de embaixador.

Preferências particulares

Também está na lei que o presidente da República em exercício não precisa nomear um embaixador que necessariamente seja um diplomata. Em outras palavras, o presidente tem o direito de nomear quem ele quiser para ser um embaixador, desde que o profissional cumpra com os seguintes pré-requisitos:

  • ser brasileiro nato;
  • ter acima de 35 anos;
  • ter experiência com política internacional.

Onde estudar?

A preparação para ser um diplomata é recebida pelo profissional somente após ele ser aprovado em um concurso público do Ministério das Relações Exteriores. Ou seja, é apenas o Itamaraty que capacita o diplomata a ser um embaixador.

Embaixador no Brasil

Como já mencionamos, quando não estão atuando em outros países, os embaixadores assumem cargos políticos em Brasília, geralmente dentro do Ministério das Relações Exteriores, cuidando de questões internacionais.

Portanto, após a leitura deste post, fica mais simples compreender o que faz um embaixador e como esse cargo é fundamental para a defesa dos interesses do Brasil. Cabe destacarmos, ainda, que para participar do concurso público do Itamaraty o candidato precisa ter concluído primeiramente algum curso de nível superior, não importando qual seja a área.

Agora que você já sabe o que faz um embaixador, confira também o que é o mercado de trabalho e como ele está atualmente!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também