À medida que o interesse em investimentos aumenta no Brasil, a procura por profissionais capacitados a atender as demandas dos mais novos investidores, e também dos mais experientes, se torna maior.

Nesse sentido, os profissionais que desejam atuar no Mercado Financeiro procuram qualificações que validem sua experiência e comprovem sua capacidade de operar em determinada área do mercado. São as chamadas certificações financeiras.

Isso se dá uma vez não existem formações acadêmicas tão específicas que possam preparar e certificar esses profissionais. Por outro lado, as certificações financeiras atestam a habilidade do profissional, tornando-o especialista na área escolhida.

Para entender melhor o que são as certificações do Mercado Financeiro, quais as principais e qual importância possuem dentro deste setor, acompanhe este artigo!

O que são certificações para o Mercado Financeiro?

Como explicamos anteriormente, as certificações para o Mercado Financeiro são selos que comprovam o conhecimento do profissional em alguma área específica. Elas permitem que o profissional atue onde tem interesse, de acordo com as atribuições de cada selo.

Portanto, tratam-se de declarações formais que atestam e garantem que o profissional possui total conhecimento na área em questão. 

Além disso, as certificações financeiras se fazem obrigatórias para alguns campos de atuação no Mercado Financeiro, sendo necessárias para que o profissional opere em conformidade à Lei.

Por outro lado, existem também as certificações direcionadas a profissionais no topo da carreira, não sendo, portanto, mandatórias para a sua atuação, mas complementares ao seu currículo.

Fora isso, por vezes as certificações são mais relevantes do que a própria formação acadêmica do profissional. A diferença entre ambos é encontrada no conteúdo e abrangência de cada um.

Enquanto na faculdade o conteúdo é dado de forma mais geral, quando o candidato se prepara para tirar sua certificação financeira, adquiri conhecimentos mais específicos, com base na rotina de trabalho do profissional.

Quais as principais certificações para profissionais do Mercado Financeiro?

Como vimos até aqui, possuir uma certificação dentro do Mercado Financeiro é um fator que gera grande destaque para o profissional.

Se você está pensando em entrar neste ramo, ou já atua nele, separamos abaixo os principais selos e algumas características sobre eles. Confira e analise, então, qual se adequa mais ao seu perfil, de acordo com a área de interesse dentro deste ramo.

CEA – Certificação de Especialista em Investimentos ANBIMA

A CEA, Certificação de Especialista em Investimentos ANBIMA, é indicada para profissionais que trabalham na assessoria de gerentes de contas de investidores.

Junto a isso, esse selo oferece a possibilidade de indicar produtos financeiros para clientes, com exceção da poupança e de planos de previdência.

Esse certificado serve como reconhecimento e qualificação de especialistas em investimentos, normalmente pessoas em alto escalão no Mercado Financeiro.

Além disso, profissionais certificados com a CEA podem exercer as atividades de profissionais com CPA-10 e CPA-20, certificações que abordaremos mais para frente.

CFP – Certified Financial Planner

O Certified Financial Planner é recomendado para planejadores financeiros, como o nome sugere. Afinal, ele concede a possibilidade de trabalhar como um consultor, avaliando os objetivos e riscos dos clientes, a fim de montar uma estratégia de investimento apropriada para seu perfil.

Esta certificação é emitida pela Planejar, empresa que certifica e orienta a atuação dos planejadores financeiros em solo brasileiro — e que sucedeu o antigo IBCPF. 

Para estar apto para o exame e obter a certificação, é necessário ter experiência de pelo menos três anos. Uma vez em posse do certificado, sua validade é de dois anos.

Este selo é considerado como um diferencial entre gestores de grande capital, o que o valoriza no Mercado Financeiro.

CGA – Certificação de Gestores ANBIMA

Também conhecido como Certificado de Gestores ANBIMA, o CGA é indicado para profissionais responsáveis pela gestão de recursos de terceiros. Isso inclui a gestão por meio de clubes de investimentos, fundos de investimentos e carteiras administradas, por exemplo.

Sendo assim, o CGA é indicado para certificar o Gestor de Investimento. Apesar disso, a CVM não o classifica como obrigatório, sendo necessário apenas para profissionais que atuam de acordo com o código de certificação ANBIMA.  

O exame desta certificação é oferecido cerca de quatro vezes por ano, sendo necessário acertar ao menos 70% das 60 questões da prova.

Eligis - teste vocacional e profissional

CAIA – Chartered Alternative Investment Analyst

A CAIA, também conhecida como Chartered Alternative Investment Analyst, é uma certificação voltada para investimentos alternativos. Ou seja, produtos não precisam obrigatoriamente ser negociados em um mercado secundário.

Através dela, o profissional pode se especializar em alguma das seguintes áreas:

  • Commodities;
  • Hedge Funds;
  • Investimentos Imobiliários;
  • Managed Futures; ou
  • Private Equity.

A prova é reconhecida mundialmente, e a inscrição deve ser feita através do site oficial da CAIA. Além disso, ela é recomendada para os seguintes profissionais:

  • Gestores de Hedge Funds;
  • General Partners de Private Equities;
  • Investidores de Commodities;
  • Private Bankers; e
  • Traders.

CPA séries 10 e 20 – Certificação Profissional ANBIMA

A Certificação Profissional ANBIMA é a mais comum dentro do Mercado Financeiro, e é disponibilizada em dois níveis, a série 10 e a série 20.

Ambos os níveis de certificação são indicados para profissionais que realizam venda e análise de produtos financeiros para investidores. A diferença, no entanto, é que a série 20 é para quem possui aplicações acima de R$300 mil reais, enquanto a 10 é para uma renda abaixo desse valor.

CNPI – Certificado Nacional do Profissional de Investimento

O Certificado Nacional do Profissional de Investimentos, o CNPI, é realizado pela APIMEC, Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais.

A certificação possui três diferentes tipos, uma para analistas fundamentalistas (CNPI), uma voltada a analistas técnicos (CNPI-T), e a terceira para analistas técnicos e fundamentalistas (CNPI-P).

Para obter cada um dos certificados, é necessário passar por dois exames em um período de 12 meses de diferença.

Vale ressaltar que, por reunir os dois tipos de análise, o CNPI-P é a certificação mais completa para quem deseja atuar como Analista de Valores Mobiliários.

CFA – Chartered Financial Analyst

Essa certificação é oferecida pelo CFA Institute, nos Estados Unidos para profissionais de investimentos e finanças. Trata-se de um certificado que aborda, além da gestão de riscos, conhecimentos profundos sobre o Mercado Financeiro.

Apesar de não ser obrigatória para a atuação na área, esta é uma certificação de grande prestígio se compara às demais, e é também uma das mais difíceis de se conquistar, pois sua prova possui um alto grau de dificuldade. 

O CFA é vista, por muitos profissionais do meio, como uma pós graduação ou MBA na área de finanças e uma grande distinção no currículo, além de abrir portas para uma carreira de nível internacional. 

Alguns dos profissionais que podem buscar por esta certificação são: 

  • IB (Investment Banking);
  • M&A (Fusões e Aquisições); 
  • Consultorias e corretoras.

Como escolher minha certificação?

Após conhecer as principais certificações financeiras, a dúvida que fica é sobre qual a melhor a se escolher. Para isso, vale lembrar que cada uma oferece conhecimentos de diferentes segmentos para o profissional, e, portanto, a área de interesse deve guiar a escolha correta.

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também