Por si só, a Medicina exige do graduando um perfil humanizado, que possa tratar o paciente com dignidade, respeito e compreensão. Essas características devem ser ainda mais evidentes naqueles que pretendem seguir o caminho da Mastologia.

Essa é uma especialidade que lida diretamente com questões íntimas e de autoestima de um paciente. Entre as atividades desse médico, a mais comum está relacionada ao tratamento do câncer de mama.

No entanto, essa não é a única função do especialista. Se você já sabe que quer ser médico ou está em dúvida sobre qual curso fazer, conheça melhor essa profissão e faça uma escolha consciente. Confira o artigo!

O que é Mastologia?

A Mastologia é a especialidade médica que estuda doenças e alterações relacionadas às mamas de homens e mulheres, diagnosticando e auxiliando no tratamento e nos cuidados relacionados a cada problema. Os mais comuns são:

  • câncer de mama — doença que pode acometer homens e mulheres, causada pelo desenvolvimento desordenado das células mamárias que, ao se multiplicarem, formam um tumor;
  • ginecomastia — condição masculina em que o crescimento das glândulas mamárias que começa na puberdade não retorna ao tamanho normal;
  • mastite — infecção do tecido mamário causada por bactérias ou obstrução dos canais por onde sai o leite e costuma acontecer nos primeiros três meses de amamentação.

A Mastologia também investiga casos de assimetria mamária, que nada mais é que a diferença no aspecto dos seios, como o tamanho e formato das mamas, posição das aréolas, peso, como se localizam no tórax, entre outras.

Essa assimetria pode ser causada por vários motivos, e cabe ao médico investigar se:

  • a alteração faz parte da anatomia natural do paciente;
  • há alterações devido aos hormônios da adolescência;
  • o paciente tem algum nódulo.

Ainda, deve detectar se a alteração é, na verdade, um caso de câncer nas mamas.

O que faz um mastologista?

As principais atividades do mastologista compreendem:

  • a anamnese, em que o médico faz perguntas a respeito da saúde do paciente e antecede o exame de toque;
  • realização do exame clínico das mamas de homens e mulheres, por meio do toque;
  • solicitação de exames complementares, como a mamografia, ultrassonografia ou ressonância das mamas;
  • realização da biópsia, caso seja encontrado algum nódulo;
  • atuação na realização de cirurgias para a retirada de nódulos e tumores malignos ou benignos;
  • desempenho das suas atividades em ambulatórios ou centro cirúrgicos, em hospitais públicos ou privados, no próprio consultório ou em unidades de saúde públicas, como autônomo, contratado ou concursado.

Pode, ainda, como qualquer profissional, dedicar-se à docência. Nesse sentido, prepara alunos de Medicina na pós-graduação ou na etapa de residência.

sala para exame mastologia

Mercado de trabalho

As atividades desempenhadas pelo médico mastologista revelam a amplitude do mercado de trabalho para essa especialidade. Embora o tratamento do câncer de mama não seja a única atividade desempenhada por esse especialista, os números revelam a importância desse profissional na prevenção e nos cuidados com a doença.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são esperados mais de 60 mil novos casos de câncer de mama só em 2020.

Como já existem muitos fatores de risco já conhecidos pela classe médica, biólogos e geneticistas, há uma atenção em relação à prevenção, aumentando a demanda de médicos e garantindo um bom número de atendimentos mensais.

Nesse sentido, também é possível atuar como pesquisador, contribuindo ainda mais para o tratamento e a prevenção da doença.

Concurso público

Assim como outras áreas da Medicina, a Mastologia pode render bons salários em concurso público. Veja alguns exemplos de vagas espalhadas pelo Brasil e seus salários:

  • R$ 7.226,55 para 20 horas de trabalho semanal em Santa Catarina;
  • R$ 5.404,88 para 20 horas de trabalho semanal em Roraima;
  • R$ 5.075,30 para 24 horas de trabalho semanal em Minas Gerais;
  • R$ 5.500,00 para 10 horas de trabalho semanal na Bahia;
  • R$ 5.000,00 para 20 horas de trabalho semanal em Pernambuco.
Eligis - teste vocacional e profissional

Como se tornar um mastologista?

Com o reconhecimento do Conselho Federal de Medicina (CFM), conveniado à Associação Médica Brasileira (AMB), a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) criou o Título de Especialista em Mastologia (TEMa) para aqueles que desejam atuar como médico mastologista.

Para obtenção do certificado, é necessário respeitar os seguintes requisitos:

  • cumprir o programa de residência médica em Ginecologia e Obstetrícia ou Cirurgia Geral, ou titulação de especialista concedida pela AMB;
  • comprovar a conclusão do estágio de especialização em Mastologia completo, realizado em dois anos em uma instituição reconhecida pela SBM, MEC e Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM);
  • realizar a inscrição pelo site da SBM.

Onde estudar Mastologia

A SBM indica 60 programas de residência em Mastologia espalhados pelo Brasil, sendo:

  • 1 nos estados do Amazonas, Espírito Santos, Goiás, Maranhão, Pará, Paraná e Rio Grande do Norte;
  • 2 no Ceará, Distrito Federal e na Paraíba;
  • 3 na Bahia;
  • 4 em Pernambuco;
  • 6 no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul;
  • 9 em Minas Gerais;
  • 19 no Estado de São Paulo.

Carreira de um mastologista

De acordo com a Demografia Médica no Brasil, a Mastologia é a 36ª especialidade mais procurada pelos médicos, com cerca de 2.219 especialistas no país, divididos entre as regiões:

  • sudeste — 52,7%;
  • norte — 4,1%;
  • centro-oeste — 8,5%;
  • sul — 13,8%;
  • nordeste — 20,9%.

A SBM realizou um levantamento e descobriu que, só no ano de 2017, eram 60 programas de residência médica credenciadas no Brasil e 188 residentes em Mastologia em todo o território nacional.

Os dados apresentados tanto pela SBM, como ao longo deste artigo, nos mostram que a carreira do mastologista pode ser promissora, especialmente se houver dedicação às novas competências exigidas pelo mercado.

Médicos mastologistas recém-formados devem se dedicar ao estudo de técnicas de cirurgia plástica e oncoplástica, oferecendo tratamento completo para os pacientes que eventualmente precisam retirar as mamas. Além disso, é desejável estudar Oncologia Clínica, Radioterapia, Radiologia e Fisioterapia, para que possam realmente ser considerados aptos a exercer essa especialidade médica.

Assim como em outras áreas da Medicina, a Mastologia exige atualização constante dos conhecimentos. Ou seja, quem se interessa pela área não pode parar de estudar!

Agora que você sabe o que é Mastologia, que tal se informar sobre o curso de Medicina e descobrir se essa é mesmo a escolha certa para você?

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também