Com o passar dos anos, notamos entre praticamente todas as competições esportivas a superação de marcas e quebra de recordes. Esse feito que é conquistado pelos atletas não é por acaso, ele é fruto do avanço em uma série de técnicas e estudos, principalmente os que envolvem a nutrição esportiva.

Área que podemos classificar como sendo relativamente nova — já que as primeiras publicações científicas datam de meados dos anos 30 —, a formação em nutrição esportiva atrai a atenção de muitos estudantes, principalmente aqueles que gostam de biologia e esportes.

Mas, você já sabe o que é nutrição esportiva e o que faz esse profissional? Continue a leitura e descubra!

O que é nutrição esportiva?

Nutrição esportiva é a parte da ciência que alinha conhecimentos de nutrição e educação física. Em outras palavras, é a área que tem como principal objetivo utilizar meios fisiológicos e bioquímicos para o aumento do desempenho físico em uma determinada atividade esportiva.

Esse campo de estudos surgiu primeiramente na Suécia, por volta de 1930, com o aprofundamento de análises sobre o metabolismo do carboidrato e da gordura em nosso corpo.

Entretanto, foi somente 35 anos depois que atletas e treinadores do mundo inteiro passaram a considerar com mais seriedade os efeitos de uma boa alimentação nos resultados obtidos.

Nesse contexto, historicamente falando, a primeira competição mundial em que a nutrição esportiva ganhou destaque foram os Jogos Olímpicos de Verão de 1968, sediados no México.

O que faz um nutricionista esportivo?

A função de um nutricionista esportivo é,basicamente, identificar as demandas energéticas e metabólicas que cada atividade física exige e associá-las aos nutrientes mais adequados para a sua reposição.

Tudo isso considerando ainda fatores individuais de cada atleta, tais como massa corporal, percentual de gordura, massa muscular, altura, pressão cardiovascular, entre outros.

Além disso, também são responsabilidades desse profissional:

  • receitar dietas personalizadas para os atletas, baseadas, principalmente, nas exigências do esporte e no perfil biológico do esportista;
  • identificar a carência de nutrientes na alimentação do atleta;
  • elaborar estratégias que envolvam práticas de alimentação para o aumento do desempenho no esporte, como horários específicos para comer, definição da quantidade de macro e micronutrientes, entre outros;
  • garantir um equilíbrio nutricional no corpo do atleta, elevando o seu desempenho em atividades físicas, sem comprometer a sua saúde fisiológica;
  • organizar a reposição energética do atleta de acordo com a carga horária diária de treinos, bem como receitar ingestão de proteínas para a recuperação muscular.
alimentos nutrição esportiva

Como me tornar um nutricionista esportivo?

Para se tornar um nutricionista esportivo, o profissional precisa, primeiramente, ingressar em um curso superior de Nutrição e, posteriormente, procurar por especializações na área, que podem ser tanto lato sensu quanto stricto sensu.

Graduação em Nutrição

Formação que exige, em média, quatro anos e meio de estudos — ou nove semestres letivos, a depender da universidade —, a graduação em Nutrição precisa ser realizada em uma universidade reconhecida pelo MEC.

Vale lembrar que esse curso, mesmo sendo focado na ciência do alimento, é uma área abrangente, ou seja, o tema nutrição esportiva é estudado durante a graduação, contudo, não é aprofundado a ponto de oferecer bagagem suficiente ao estudante.

Pós-graduação em nutrição esportiva

A especialização nessa área é feita com o ingresso em um curso de pós-graduação, no qual o profissional terá a oportunidade de aumentar a complexidade dos estudos acerca da relação existente entre alimentação e desempenho no esporte.

Pós-graduação stricto sensu

Essa modalidade é mais conhecida no meio acadêmico por ser a responsável por titular estudantes como sendo mestres, após dois anos de pesquisa, e doutores, após quatro anos de pesquisa, no mínimo.

Pós-graduação lato sensu

Já a pós-graduação lato sensu tem um caráter menos acadêmico e mais profissional, voltada quase majoritariamente para quem deseja ingressar no mercado de trabalho.

Em relação à duração, a lato sensu é mais curta, variando de três meses a um ano, conforme o programa da instituição de ensino fornecedora do curso.

Eligis - teste vocacional e profissional

Onde estudar?

Há muitas universidades no país que oferecem o curso de Nutrição, entre elas podemos destacar:

  • Universidade Federal da Bahia (UFBA);
  • Universidade Federal do Ceará (UFC);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS);
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
  • Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP);
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE);
  • Universidade Federal de Santa Maria (UFSM);
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR);
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG);
  • Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP);
  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade de Brasília (UNB);
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Como é o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho para esse profissional vem crescendo consideravelmente nos últimos anos, principalmente com o aumento da competitividade esportiva existente entre as equipes atléticas.

Desse modo, um nutricionista esportivo pode trabalhar com:

  • clubes que tenham equipes de esporte, tais como futebol, vôlei, handebol, basquete, natação, entre outras atividades;
  • clínicas especializadas em saúde esportiva;
  • consultorias, auxiliando, de forma particular, atletas e equipes específicas;
  • saúde pública, atuando em hospitais e centros de saúde públicos.

Nutrição esportiva: salário

O salário de um nutricionista esportivo pode variar consideravelmente conforme são os seus anos de experiência no mercado.

Contudo, a Federação Nacional dos Nutricionistas – FNN estipula uma remuneração mínima para esse profissional conforme a sua jornada de trabalho, que são de R$ 2.770,00 para 44 horas semanais de trabalho.

Sendo assim, após a leitura deste post, podemos afirmar com propriedade que a nutrição esportiva é uma ciência imprescindível para o aumento do rendimento de qualquer atleta. É importante frisar, ainda, que essa área é relativamente nova, ou seja, ainda há poucos profissionais capacitados disponíveis no mercado de trabalho.

Gostou de aprender um pouco mais sobre a área da Nutrição? Então, veja agora como os nutrientes e a saúde alimentar podem se relacionar com a Medicina!

Você pode gostar também