Se você foi um leitor de sagas famosas como Harry Potter, Jogos Vorazes ou Game of Thrones, já deve ter se perguntado quanto ganha um escritor. E se está pensando em rendimentos milionários, acertou — mas não será tão fácil assim.

Para ter essa profissão, porém, não é preciso lançar um best-seller. Todos aqueles que publicam livros, sobre qualquer tema, são considerados escritores.

Você gosta de escrever? Manda bem nas redações e dissertações? Talvez essa seja a carreira profissional certa para você. Saiba mais sobre ela!

Quanto ganha um escritor de livros?

Para saber quanto ganha um escritor de livros, em primeiro lugar, é preciso pensar no tipo de publicação.

Por exemplo, JK Rowling, a “mãe” da saga Harry Potter, voltou ao topo da lista dos autores mais bem-pagos do mundo no final de 2019, faturando 92 milhões de dólares.

Mário Sérgio Cortella, formado em Filosofia, publicou cerca de 15 livros até o momento. Além de ganhar como professor e escritor, ele também fatura com palestras: cada uma custa de 70 a 100 mil reais.

Antes de chegar ao patamar de Rowling e Cortella e ver seus livros transformados em séries ou palestras, o escritor pode faturar uma média de R$ 1.876,95 publicando histórias de ficção, de acordo com o portal Salário.

Já os escritores de livros didáticos podem alcançar uma média de R$ 7.158,76, mesmo valor que um escritor ganha em obras educativas.

escritor

Perfil do escritor

Assim como responder quanto ganha um escritor vai depender do tipo de livro a ser escrito, as habilidades desejáveis para ser um bom profissional também podem mudar de acordo com o foco das obras que serão publicadas.

Contudo, algumas delas são comuns a todos os tipos de escrita:

  • gostar de ler: ler muitos livros, revistas e artigos sobre vários assuntos, com intenção de ampliar o vocabulário e reunir diversas informações;
  • gostar de escrever: escrever um pouco todos os dias, para praticar;
  • gostar de estudar: fazer um curso livre de escrita criativa ajuda a transferir as ideias para o papel com facilidade;
  • não ter vergonha de divulgar sua escrita: publicar pequenos textos em um blog ou rede social, com o objetivo de atrair leitores e receber um feedback do público sobre os assuntos abordados e sua forma de se comunicar;
  • bom relacionamento interpessoal: fazer amizade e estabelecer contato com outros escritores da área que você deseja seguir pode render parcerias em publicações, contribuindo para que seu nome como escritor alcance um público ainda maior.

Como escrever um livro?

Uma coisa é certa: em linhas gerais, para se tornar um escritor, basta escrever um livro! Portanto, é possível dar os primeiros passos na profissão de maneira amadora, só para experimentar o prazer da escrita.

Veja como começar a escrever um livro de ficção ou educativo em alguns passos:

  • defina qual vai ser o gênero do seu livro, como poesia, romance ou suspense;
  • escolha o assunto principal do seu livro: J.K. Rowling decidiu que ia tratar de um universo mágico de crianças em uma escola de bruxos;
  • defina qual será o intervalo de tempo da sua história, estabelecendo anos ou períodos históricos;
  • coloque suas ideias soltas em folhas em branco, como trechos da história, cenários, acontecimentos centrais e personagens;
  • trace o perfil dos seus personagens, como nome, idade, onde nasceram, suas principais características físicas e de comportamento.

Para que sua história faça sentido, as questões acima devem estar alinhadas. Depois, crie um planejamento de quantos capítulos seu livro vai ter, dividindo o enredo entre essas partes.

Por fim, comece a escrever. Leia, releia e modifique sua obra, corrigindo o que achar que não está bom, até que seu livro fique pronto. Se quiser publicar, busque por editoras.

Se você se sentir inseguro com seu material, não tenha medo ou vergonha de pedir para que uma pessoa que entende do assunto, como um professor de literatura, avalie seu trabalho.

Cursos para ser escritor

Se você se interessa por escrever livros didáticos ou assuntos como educação, ciências, arte, filosofia e sociologia, os cursos de graduação relacionados a essas áreas podem render a publicação de diversos artigos durante a faculdade.

Afinal, muitos livros publicados são fruto da união de vários artigos sobre uma mesma temática.

Após essa fase, investir em programas de mestrado e doutorado é um dos caminhos mais interessantes para ver sua pesquisa se transformar em um livro.

Já aqueles que desejam ser um marco na literatura brasileira e se dedicar a obras educativas ou de ficção, o curso de Letras e suas vertentes são os mais adequados.

Onde estudar?

Se você tem vontade de entender a sociedade e escrever livros sobre isso, pode investir no curso de Sociologia. Entre as instituições que o oferecem, é possível estudar a distância na Universidade de Taubaté (Unitau) ou presencialmente na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), por exemplo.

Mas, se o foco é falar sobre educação, filosofia ou arte, os cursos de Pedagogia, Filosofia e História são boas opções para ter uma base sobre os assuntos.

Eles são encontrados em diversas instituições de ensino superior, nas modalidades presencial ou a distância. Você pode estudar em universidades como a USP, UFSCAR ou UniCesumar.

O curso de Letras também é encontrado em diversas universidades, como na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) ou no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP).

Mercado de trabalho

Uma pesquisa informal publicada pela Folha de S.Paulo em 2014 revela que o mercado de trabalho pode ser difícil para os escritores que desejam viver somente dos livros publicados.

No entanto, como você pôde ver ao longo do artigo, aqueles que não se limitam apenas a publicar obras podem aumentar seus ganhos de maneira expressiva.

Diversos escritores também são professores e pesquisadores e transformam suas produções acadêmicas em livros.

Esses livros, somados aos estudos, dão propriedade para falar sobre o assunto trabalhado. Com isso, o escritor acaba se tornando palestrante, o que aumenta seus rendimentos.

No caso dos livros educativos ou de ficção, há diversas editoras interessadas em publicar boas histórias no Brasil.

Cabe ao escritor trabalhar a sua imagem e investir em relacionamento interpessoal, para que as obras fiquem conhecidas, aumentando as vendas e o faturamento.

Bacana saber quanto ganha um escritor e que a profissão e seus rendimentos podem ser associados a outras atividades, como dar aulas, não é mesmo? Livros e estudos são uma dupla imbatível para transformar a vida das pessoas de maneira positiva. Pense nisso!

Aproveite que está aqui e descubra como um teste vocacional pode ajudar na escolha do seu curso e faculdade!

Eligis - teste vocacional e profissional
Você pode gostar também