Você já parou para pensar nas oportunidades que o mercado de trabalho oferece? Quando escolhemos um curso de graduação e uma carreira para seguir, é natural focar aquilo que já sabemos da profissão. Acontece que existem diferentes tipos de emprego, e nem todo mundo conhece todos eles.

Para facilitar essa missão, reunimos, aqui, as principais informações que você precisa saber sobre esse assunto. Aproveite para refletir sobre qual (ou quais) das opções a seguir combina mais com o seu perfil!

Quais são os tipos de emprego?

Ao acessar um portal de empregos para conferir as profissões em alta e suas oportunidades, pode parecer que todas as alternativas ali são, basicamente, a mesma coisa e que você está limitado a se encaixar em alguma delas.

Na realidade, não é bem assim. Os diferentes tipos de emprego atendem às diversas demandas do mercado e, também, aos perfis distintos dos profissionais. Afinal, que graça teria se todo mundo quisesse fazer a mesma coisa e do mesmo jeito, concorda?

Para descobrir as peculiaridades de cada opção, leia os tópicos a seguir!

Estágio

Normalmente, esse é o primeiro contato de um trabalhador com o mercado. Os universitários podem ser contratados como estagiários enquanto estudam, o que garante uma oportunidade de aprendizado mais prática do que a faculdade pode oferecer em suas aulas.

Nesses casos, a carga horária costuma ser reduzida para que o estudante consiga conciliar sua rotina profissional e acadêmica. Há uma legislação específica para estágios — que, inclusive, esclarece o fato de ele não ser considerado vínculo empregatício. Mesmo assim, não deixa de ser um tipo de emprego.

Trabalho formal

Os trabalhadores formais com carteira assinada são aqueles contratados seguindo as regras da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Isso significa que tanto os empregados quanto os empregadores têm direitos e deveres a serem cumpridos.

Por exemplo, não é permitido que uma empresa faça com que o seu funcionário trabalhe por muitas horas seguidas, ignorando os limites estabelecidos pela legislação. O modelo também assegura benefícios para a classe trabalhadora, como férias, décimo terceiro salário, vale-transporte e contribuição para aposentadoria.

Apesar de ser uma alternativa que envolve uma certa estabilidade ou vantagens como as que citamos acima, é comum que esse formato de trabalho seja mais rígido. Por isso, há quem prefira ter maior independência e buscar outros tipos de relações trabalhistas.

Trabalho autônomo ou liberal

O profissional autônomo não tem um registro formal de emprego, mas pode trabalhar tanto quanto um funcionário nos moldes da CLT ou até mais — já que não é limitado pela legislação.

Os indivíduos desse grupo também podem ser chamados de trabalhadores liberais, justamente porque têm maior liberdade para determinar suas relações profissionais.

Enquanto muitas pessoas que são admitidas por empresas precisam seguir um contrato de exclusividade, os autônomos podem escolher atuar conforme lhes parecer mais proveitoso.

Detalhes como remuneração, horários e atividades desempenhadas dependem das decisões de cada um. Esse é o caso de médicos, engenheiros ou advogados que têm seus próprios consultórios e escritórios. Essas e outras carreiras permitem que seus profissionais atuem como pessoas físicas no mercado.

Existem, ainda, os freelancers, que são um tipo de profissional autônomo. Essas pessoas fecham contratos de prestação de serviços com seus clientes e gerenciam os seus trabalhos.

tipos de emprego autônomo

Trabalho voluntário

O trabalhador voluntário é aquele que se doa e realiza alguma tarefa por prazer, sem esperar remuneração em troca. Não há vínculo empregatício e nenhum tipo de obrigação formal das partes, a não ser pelo que é combinado entre elas.

Em geral, o voluntariado é uma prática relacionada à filantropia e ao altruísmo. As pessoas que se dedicam a esse tipo de atividade o fazem por livre e espontânea vontade, em prol de causas sociais que façam sentido para elas.

Portanto, você pode ser um voluntário em ONGs ou instituições das mais diversas naturezas. Basta doar seu tempo e disposição para cumprir tarefas básicas ou específicas, que tenham a ver com a sua formação profissional.

Trabalho temporário

O termo “temporário” já indica que esse tipo de emprego acontece quando há um prazo para que ele seja encerrado — desde alguns dias até um ano ou mais.

Duas situações muito comuns de trabalhos temporários são quando as lojas contratam funcionários para reforçar o atendimento na época das festas de fim de ano e quando uma organização emprega uma pessoa para cobrir as férias de outra.

Independentemente das condições, o mais importante é que tudo fique bem claro, para evitar problemas.

Empreendedor

Por fim, a possibilidade de um empreendimento próprio não deve ser descartada. Abrir uma empresa é deixar de ser o empregado para se tornar o empregador, embora existam muitos negócios sem um quadro de funcionários.

A diferença do autônomo para o empreendedor é a estruturação de uma pessoa jurídica. Esse é um detalhe que tem prós e contras, merecendo ser analisado com cautela de acordo com cada contexto.

Eligis - teste vocacional e profissional

Melhores tipos de emprego

Se você não sabia que existiam tantos tipos de emprego, agora pode estar em dúvida sobre qual deles é melhor ou pior. A verdade é que não existe uma única resposta para essa questão.

O benefício da diversidade é realmente facilitar que as pessoas se realizem de diferentes maneiras. Há quem nasça com o espírito empreendedor e, desde cedo, comece a colocar os seus sonhos em prática, desenvolvendo ideias e criando negócios.

Por outro lado, as carreiras formais atraem trabalhadores que gostam de um pouco mais de estabilidade. Não é preciso se preocupar em administrar nada, e o salário cai na conta todos os meses, com todas as vantagens trabalhistas garantidas.

Outro tipo de perfil que tem crescido é o dos autônomos. As novas gerações valorizam a flexibilidade e, muitas vezes, acabam optando por trabalhos que oferecem a vantagem de você ser o seu próprio chefe.

De fato, não há certo ou errado. O que mais importa é refletir sobre as suas preferências e as oportunidades que existem na profissão que você escolheu. Tomar decisões conscientes é o melhor caminho para a satisfação profissional e pessoal.

Caso não esteja realizado com a sua escolha, vale explorar outros tipos de emprego e aproveitar novas chances!

E aí, já sabe qual carreira pretende seguir? Temos, aqui, uma Trilha de Orientação Profissional completa para ajudar você nessa tarefa. Confira o conteúdo!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também