À procura de uma formação diferenciada, com muitas atividades práticas, boas oportunidades de trabalho e foco total na promoção de saúde? Está na hora de você conhecer o curso de Musicoterapia.

Para isso, reunimos, neste post, tudo o que você precisa saber sobre essa graduação, o que inclui desde onde é possível cursá-la até os detalhes da atuação do profissional da área. Ficou interessado em saber mais e descobrir por que essa carreira pode ser a escolha certa para você? Acompanhe!

O que é musicoterapia?

Musicoterapia é um campo de atuação da saúde que trabalha com procedimentos terapêuticos por meio dos sons, melodias e cantos para diferentes grupos de pacientes. Por exemplo:

  • indivíduos em fase de crescimento e desenvolvimento físico, motor e cognitivo — isto é, crianças e adolescentes;
  • indivíduos com perda natural (inicial ou avançada) das funções psíquicas e funcionais — isto é, pessoas na terceira idade;
  • indivíduos em tratamento de transtornos mentais e neuropsicológicos;
  • indivíduos em tratamento de doenças fisiológicas agudas, crônicas e autoimunes que podem ou não demandar acompanhamento médico intensivo, adoção de cuidados paliativos e internação.

A título de curiosidade, desde 2006, o Sistema Único de Saúde (SUS) reconhece e implementa a musicoterapia como um dos recursos da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS (PNPIC).

A proposta é que ela, assim como a fitoterapia, a quiropraxia e a homeopatia, seja prestada à população na atenção básica não só para promover bem-estar, qualidade de vida e desenvolvimento físico e mental, mas também como estratégia de prevenção e tratamento de enfermidades que acometem as pessoas.

musicoterapia

Quais os benefícios da musicoterapia?

Há diversos benefícios da musicoterapia. Entre eles, podemos citar o estímulo ao movimento e à ampliação da coordenação motora, o aumento da sensibilidade auditiva, a melhora do autocontrole, o maior domínio da comunicação oral e gestual, a redução das dores físicas e do desconforto emocional e, é claro, o manejo do estresse e da ansiedade.

Como é o curso de Musicoterapia?

Com duração de oito semestres, a faculdade de Musicoterapia é um bacharelado que apresenta os princípios do Sistema Único de Saúde, as patologias que afetam o desenvolvimento biopsicossocial do ser humano e as áreas de atuação do musicoterapeuta — que estão relacionadas ao perfil de paciente com o qual ele pode trabalhar.

Além disso, é claro, ela mostra as questões estruturais da música, os efeitos dos sons aos níveis neurológicos e fisiológicos e o uso terapêutico de diferentes instrumentos (como violão, teclado, violino, saxofone e piano).

Onde estudar?

De acordo o último Censo da Educação Superior, elaborado em 2019 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o curso de Musicoterapia é uma formação ainda bastante restrita no Brasil.

Para se ter ideia, em toda a nação, existem apenas cinco instituições de ensino que o disponibilizam, sendo que nenhuma delas está localizada no Norte ou no Nordeste. Abaixo, você confere quais são os centro universitários em questão:

  • Universidade Federal de Goiás;
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro;
  • Universidade Estadual do Paraná;
  • Faculdades Metropolitanas Unidas;
  • Faculdades EST (Escola Superior de Teologia).

Para completar, o órgão apontou que, como resultado desse número limitado de locais para estudar e se capacitar como futuro musicoterapeuta, a quantidade de vagas oferecidas em 2019 foi bem modesta: cerca de 301. Já o total de estudantes que finalizaram a formação nesse ano não passou de 29.

Existe Musicoterapia EAD?

Por mais que muitos alunos tenham preferência por estudar de forma remota, pela praticidade e conveniência que essa modalidade de ensino traz, é importante saber que não existe Musicoterapia EAD. Todas as instituições que mostramos acima ofertam essa graduação apenas no formato presencial.

Essa escolha se deve, em grande parte, à necessidade de os alunos terem vivência prática em espaços comunitários e de saúde. Além disso, é fundamental que, ao longo do curso, eles participem de atividades que envolvam a interação com pacientes e a aplicação do conhecimento dos sons no processo terapêutico deles.

Como me tornar um musicoterapeuta?

A forma mais simples é fazendo a graduação em Musicoterapia. No entanto, como existem poucas instituições no país que a oferecem e não há um curso de Musicoterapia online reconhecido pelo MEC, você pode atuar nesse ramo de outras formas.

A primeira delas é inscrever-se em uma faculdade de Música que tenha na grade curricular matérias que abordam a prática do musicoterapeuta. Dessa forma, você pode direcionar tanto os seus estudos quanto o ganho de experiência profissional (a partir do estágios) para essa carreira.

Uma segunda opção é cursar algo na área da saúde, como Medicina, Psicologia ou Enfermagem. Afinal de contas, essas formações são muito alinhadas com a musicoterapia e costumam inseri-la no tratamento de diversos pacientes — em especial, aqueles em home care e hospitalizados.

Uma vez em uma dessas graduações, é possível realizar cursos de música livres ou de extensão sobre os principais fundamentos e teorias do campo. Também há formações em Musicoterapia que apresentam as diferentes abordagens de trabalho com os sons na promoção e reabilitação da saúde.

Como é o mercado de trabalho?

Os musicoterapeutas ou profissionais com formação complementar em musicoterapia podem atuar em hospitais (gerais ou especializados), postos de saúde, unidades básicas de saúde e organizações não governamentais com foco em bem-estar mental.

Além disso, muitos deles prestam atendimento domiciliar e realizam jornadas de trabalho em outras instituições que fazem parte do SUS, como redes de ações comunitárias, centros de convivência e cultura e polos de lazer — o que serve justamente para que eles promovam as práticas integrativas e complementares para a população em geral.

Gostou de saber mais sobre como é a formação em Musicoterapia e por que ela é tão promissora na sociedade atual? Saiba que vale a pena se inteirar ainda mais sobre como o SUS vem adotando essa prática terapêutica em todo o país. Assim, você já pode começar a montar o seu plano de carreira.

Porém, caso tenha dúvida entre essa e outra área da saúde, não deixe o nervosismo tomar conta. Saiba que você pode fazer o nosso teste vocacional a qualquer momento para ajudá-lo na sua decisão!

Você pode gostar também