Sendo uma das profissões mais assediadas pelo mercado na atualidade, muita gente quer saber quanto ganha um cientista de dados. Apesar dos valores apresentarem diferenciações de acordo com o tempo de experiência e funções exercidas dentro de uma empresa, os rendimentos são bem atrativos. Como os sistemas digitais estão dominando as relações humanas, esse profissional acaba tendo oportunidades por todos os lados.

Para você ficar por dentro dos valores pagos e também dos passos necessários para seguir essa carreira, elaboramos este post com informações interessantíssimas. Vem com a gente!

Qual é o salário de um cientista de dados?

O salário de um cientista de dados sofre muitas variações, pois existem atividades distintas dentro de uma empresa. Há quem assuma cargos de gerência, com equipes próprias em prestações de serviços, ou seja, pleno, júnior etc.

Entretanto, a média salarial, segundo os principais sites de vagas de empregos, varia de R$ 4.500 a R$ 8.000, mas há vários profissionais que chegam a ganhar mais de R$ 15.000, principalmente em cargos de gerência.

A experiência também conta muito pelas empresas assim como cursos no exterior ou habilidades diferenciadas. Portanto, apesar de não ser possível mensurar uma média fixa, uma informação é oficial: trata-se de um profissional com bons rendimentos mensais.

Salário do cientista de dados júnior

O salário de um cientista de dados júnior está na faixa de R$ 4.913, podendo ultrapassar a casa dos R$ 8.000 em empresas de grande porte.

Para você ter uma ideia, um estagiário dessa profissão chega a ganhar R$ 2.000 por mês, ou seja, trata-se de um setor da economia que paga bem acima da média nacional.

Funções do cientista de dados júnior

Quem atua como júnior em Ciências de Dados frequentemente integra uma equipe já existente com responsabilidades menos ‘cabeludas’.

Portanto, são profissionais que podem contribuir com novas ideias, depurar e atuar em modelos já existentes.

As responsabilidades aumentam de acordo com a evolução nos projetos, como por meio da criação de um código novo. Por isso, para atuar como cientista de dados júnior é preciso saber trabalhar em equipe e ter muita paciência.

Se o profissional acha que sabe tudo, terá sérios riscos de “bater a cara”, tendo menos espaço ainda.

quanto ganha um cientista de dados

Salário do cientista de dados pleno

No caso do cientista de dados pleno, o salário é ainda mais atrativo: a média é de aproximadamente R$ 7.455, mas muita gente consegue faturar mais de R$ 10.000 por mês.

E ainda quem é pleno, consegue melhor salário pela carga da experiência ter um peso a mais.

Isso porque geralmente os profissionais júnior foram contratados logo após um período de estágio, enquanto os profissionais pleno já adquiriram de dois a cinco anos de experiência.

Responsabilidades do pleno

Quem atua como cientista de dados pleno já domina a construção de modelos analíticos e preditivos, tornando-se verdadeiros arquitetos dos sistemas.

Assim, evitam-se possíveis falhas lógicas no modelo, preparando os dados corretamente.

Além disso, ele tem a responsabilidade de orientar os profissionais de nível júnior e ainda levar demandas para gerência.

Salário do cientista de dados sênior

Chegar ao nível sênior é uma espécie de auge na carreira, pois são os profissionais mais experientes dentro de uma equipe de Ciência de Dados.

Portanto, eles ganham os salários mais atrativos da área, com uma média inicial de R$ 11.000, ou seja, há cientistas de dados sênior que podem ganhar mais de R$ 20.000, principalmente se assumirem a gerência do setor em multinacionais ou empresas de grande porte.

No entanto, para chegar a esse estágio, é preciso muito estudo, cursos de capacitações e, principalmente, experiência.

Funções de um cientista de dados sênior

Quem é sênior já traz no próprio título uma bagagem de mais de cinco anos no mercado, inclusive atuando com vários modelos de dados.

O profissional que atinge esse nível tem conhecimento sobre as melhores práticas e consegue resolver as demandas com rapidez, escrevendo códigos eficientes, além de ter uma responsabilidade para localizar projetos de negócios com retornos positivos sobre os investimentos.

Assim, o sênior conhece muito de programação e também de modelos científicos, tornando-se a pessoa linha de frente da Data Sciense de uma companhia.

Validam as ideias antes da implantação e lideram as equipes, sendo uma ponte com a gerência de outros setores ou diretoria.

Como ser um cientista de dados?

Antes de chegar ao mercado e desfrutar dos bons salários, você terá que fazer cursos para aprender a atuar na profissão. Eles podem ser livres, de graduação ou também de pós-graduação.

Formação livre

Essa formação em Data Science pode ser encontrada em várias plataformas digitais, com poucos meses de estudo.

É válido como uma espécie de introdução no universo da profissão, mas para trabalhar é preciso ir além. Veja alguns locais que oferecem essa visão inicial.

  • Plataforma Udemy;
  • Alura;
  • Preditiva.ai;
  • Digital House.

Graduação

O curso superior em Ciência de Dados tem uma duração média de cinco anos e contempla muitas disciplinas de Exatas.

Dessa maneira, há várias matérias com cálculos, estatísticas, programação, algoritmos e tudo o que envolve computadores. Por isso, gostar de matemática e tecnologia é fundamental, além de ter uma visão analítica e ser curioso para desvendar códigos e suas funções. Veja algumas disciplinas obrigatórias:

  • Introdução a Ciência de Dados;
  • Algoritmos e Programação;
  • Banco de Dados;
  • Estrutura de Dados;
  • Segurança da Informação;
  • Desenvolvimento Web;
  • Programação Estatística;
  • Business Intelligence;
  • Big Data;
  • Redes Neurais;
  • Machine Learning;
  • Probabilidade e Estatística;
  • Sistemas Operacionais;
  • Cálculo;
  • Programação para Ciência de Dados;
  • Engenharia de Dados;
  • Visão Computacional;
  • Gestão de Projetos.

Pós-graduação

Como o próprio nome diz, o curso de pós é voltado para quem já concluiu a faculdade. Trata-se de uma especialização com foco no segmento de atuação ou para aprimoramento dos conhecimentos.

Onde estudar?

Inúmeras instituições de ensino oferecem o curso de Ciências de Dados, tendo em vista que as empresas estão adotando os números para tomarem decisões estratégicas e certeiras. Observe onde estudar:

  • Centro Educacional Anhanguera;
  • Universidade Anhembi Morumbi;
  • Universidade Paulista (Unip);
  • Universidade Presbiteriana Mackenzie;
  • Fundação Getúlio Vargas (FGV);
  • Estácio de Sá;
  • Cruzeiro do Sul Virtual.

Agora que você já sabe quanto ganha um cientista de dados e quais as possibilidades da profissão, nada melhor que investir em sua preparação para obter uma formação sólida e que contribua com o seu sucesso profissional.

E você, ama tecnologia e programação, mas ainda não tem certeza se fará Ciências de Dados? Então, não perca mais tempo e faça o nosso teste vocacional!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também