Em um mercado de trabalho com tantas carreiras (e que são tão diversas entre si), é normal que uma ou outra atividade ainda seja pouco conhecida por muita gente, o que acaba causando dúvidas, confusões e até mesmo mitos sobre elas. Isso acontece, por exemplo, com a profissão do terapeuta ocupacional.

Há quem já tenha escutado sobre essa área, que leu algo a respeito ou conheceu alguém que atua nela, mas que, na prática, não sabe ao certo o que faz esse profissional, em que locais trabalha ou como é a formação em Terapia Ocupacional.

Por esse motivo, trouxemos um post para esclarecer as principais questões que envolvem esse campo. Acompanhe até o fim!

O que faz um terapeuta ocupacional?

Não sabe o que faz um terapeuta ocupacional? Sem problemas, a gente explica em detalhes! Esse profissional realiza o acompanhamento — seja diariamente, seja em turnos — de pessoas que não conseguem ou não podem realizar atividades rotineiras (muitas das quais, inclusive, elas já estavam habituadas a fazer).

Essa dificuldade acontece por problemas psicoemocionais, orgânicos ou fisiológicos (de origem osteomuscular, locomotiva ou motora) que são bastante graves, deixam sequelas e, em muitos casos, não têm cura.

Portanto, o terapeuta entra em cena para ajudar o paciente a se adaptar às condições em que ele se encontra e, a partir disso, a ter um maior autocontrole biopsicossocial.

Dessa forma, ele conquista uma maior independência, mais autoconfiança e vivencia uma descoberta constante de como recuperar o bem-estar, a saúde e o convívio social.

Qual é a diferença entre um terapeuta ocupacional e um psicoterapeuta?

Como dissemos há pouco, o terapeuta ocupacional atua como um agente facilitador e adaptativo para pessoas que, devido aos mais variados quadros de saúde, não podem, temporariamente ou indefinidamente, retomar à vida funcional que tinham antes.

Já o psicoterapeuta, embora também tenha o “terapeuta” no nome, tem uma formação diferente, além, é claro, de outros objetivos no trabalho que realiza.

Para começar, ele se graduou em Psicologia — um curso que dura cinco anos e, em algumas instituições, é ofertado em tempo integral.

A função dele é o acompanhamento de pacientes em uma quantidade de sessões definidas ou contínuas para auxiliar o indivíduo:

  • no processo de autoconhecimento;
  • na compreensão e no enfrentamento de problemas emocionais;
  • no tratamento de psicopatologias que afetam o bem-estar físico e mental dele (como a depressão, o transtorno do pânico, o estresse pós-traumático, o transtorno obsessivo compulsivo etc.).
terapeuta ocupacional

Como ser um terapeuta ocupacional?

Para assumir uma vaga de terapeuta ocupacional, você deve, primeiramente, fazer um curso de Terapia Ocupacional. Ele dura quatro anos e o leva a estudar a fundo a área da saúde, especialmente os aspectos relacionados aos funcionamentos fisiológico e psicológico do ser humano. Entre as matérias dessa formação estão:

  • Bases Biológicas Integradas;
  • Patologia Geral;
  • Cinesiologia e Biomecânica;
  • Farmacologia Geral;
  • Psicologia do Desenvolvimento;
  • Psicomotricidade;
  • Neuroanatomia e Neurofisiologia;
  • Recursos Terapêuticos.

Depois de se graduar, é preciso inscrever-se no Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito).

Esse é o órgão nacional que regulamenta a categoria e é responsável por fiscalizar a atuação dos terapeutas, estabelecer o código de ética da profissão, promover as especialidades da área, oficializar ganhos e jornadas de trabalho e muito mais.

Quanto ganha um terapeuta ocupacional?

O salário do terapeuta ocupacional, segundo levantamento do site Vagas, gira em torno de R$ 3.102,00. Porém, é importante falar que, assim como outras atividades do ramo da saúde, os graus de experiência e especialização influenciam (e muito) na renda mensal desse profissional.

Além disso, há terapeutas que trabalham em mais de uma instituição, os que empreendem e montam clínicas de reabilitação e aqueles que focam a carreira em atendimento home care. Portanto, há muitos caminhos para aumentar o retorno financeiro e ter um orçamento alto e estável ao longo da carreira.

Outro ponto que vale a pena ser mencionado é que a rotina de trabalho desse profissional é definida pela lei n.º 8856/94, não podendo ultrapassar as 30 horas por semana.

Quais são as áreas de atuação do terapeuta ocupacional?

Os terapeutas ocupacionais atuam, de forma geral, em dois grandes polos: o institucional e o domiciliar. O primeiro envolve as instituições de saúde (como hospitais, clínicas, consultórios, enfermarias, postos de saúde, unidades básicas de saúde etc.).

Isto é, espaços em que eles realizam procedimentos terapêuticos com os pacientes e compartilham os resultados com a equipe multidisciplinar do local, o que inclui médicos, fisioterapeutas, psicólogos, radiologistas, nutricionistas, entre outros.

Já o segundo, por outro lado, envolve a residência do sujeito em tratamento. Geralmente, são casos de limitação severa dos movimentos, de transtornos que reduzem a sociabilidade ou mesmo de pessoas acamadas.

Onde estudar Terapia Ocupacional?

De acordo com a plataforma de simulação do Sisu, ofertada pelo Ministério da Educação, há 14 instituições da rede pública que contam com o curso de Terapia Ocupacional e disponibilizam vagas pela modalidade de ingresso do Enem. Algumas delas são:

  • Universidade Federal do Paraná;
  • Universidade Federal de Minas Gerais;
  • Universidade de Brasília;
  • Universidade Federal de Santa Maria;
  • Universidade Federal de Sergipe.

Já na rede privada de ensino, você pode encontrar essa graduação em instituições dos mais diferentes cantos do país. Veja alguns exemplos:

  • Centro Universitário Uningá;
  • Faculdade Claretiano;
  • Faculdade UniGoyazes;
  • Universidade de Fortaleza;
  • Centro Universitário Unifaesp.

Resumindo: há uma boa variedade de faculdades em que você pode estudar. Por isso, é importante pesquisar os diferenciais de cada uma que mais podem agregar à sua formação, como a infraestrutura, o corpo docente, os programas de monitoria, as atividades de extensão, os eventos de pesquisa e profissionalização, e por aí vai.

Como mostrado, o terapeuta ocupacional tem um papel fundamental no campo da saúde, resgatando o bem-estar para aqueles pacientes que precisam de acompanhamento e suporte no enfrentamento de diversos problemas físicos e mentais.

Portanto, escolher essa profissão é ter a certeza de não só passar por uma formação humanizada, mas também seguir uma carreira que muda a sociedade e transforma vidas.

Gostou de saber mais sobre a formação em Terapia Ocupacional? Então aproveite para conhecer mais sobre outras graduações no ramo da saúde e fazer o nosso teste vocacional para identificar qual delas pode ser a sua futura carreira!

Campanha Always On Cronograma
Você pode gostar também